Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Dia Mundial da Filosofia

titans.jpg

The mural painting "Titans" by Lumen Martin Winter, which hangs in the General Assembly building at UN Headquarters.

PHOTO:UN Photo/R Grunbaum

Na terceira quinta-feira de cada mês de novembro, sob a égide da UNESCO, assinala-se o Dia Mundial da Filosofia. Colocando a Filosofia no centro do desenvolvimento do pensamento crítico, a UNESCO tem diligenciado no sentido de os governos de todo o mundo incluírem o pensamento filosófico nos planos de estudo do ensino obrigatório.

A edição 2020 convida o mundo a refletir sobre o significado da atual pandemia, sublinhando a necessidade, mais do que nunca, de recorrer à reflexão filosófica para fazer face às múltiplas crises que vivemos.

 

A Associação de Professores de Filosofia, para assinalar o Dia Mundial da Filosofia de 2020, disponibiliza um plano de sequência de aulas. Partindo da epistemologia de Descartes, e com possível integração curricular com Cidadania e Desenvolvimento, pretende-se que os alunos reflitam sobre o valor ético da verdade epistémica.

Em 2005 a UNESCO determinou que na terceira quinta-feira de cada mês de novembro seria assinalado o Dia Mundial da Filosofia.

Subordinado a um mote que é definido anualmente pela UNESCO, este dia traduz o reconhecimento da importância da Filosofia, e do seu ensino, para o desenvolvimento de pessoas mais críticas, mais reflexivas, mais capazes de pensar a solução para os problemas éticos e políticos que preocupam as nações e os indivíduos em todo o mundo.

Após a II.ª Guerra Mundial, foi convicção da UNESCO de que a Filosofia tinha um papel moral e político fundamental. Por isso, foi considerado prioritário o apoio ao desenvolvimento do pensamento filosófico, quer criando condições para o contacto e a partilha entre filósofos quer através da publicação de livros e outros documentos que permitissem a disseminação da filosofia. Mas, foi também solicitado à Filosofia que desempenhasse um papel na consciencialização da opinião pública da importância dos direitos humanos, em particular através da consolidação do ensino da Filosofia desde os níveis mais básicos de educação

A importância do ensino da Filosofia tem sido destacada pelo papel ativo que a UNESCO tem desempenhado, promovendo cimeiras para aferir o “estado da arte” nas várias regiões do globo e tornando públicas recomendações que visam a universalização do ensino precoce desta disciplina
Em 2007, a UNESCO publica Philosophy, a school of freedom, documento onde são dadas poderosas orientações sobre o ensino da filosofia, desde o 1.º ciclo até ao ensino superior, e sobre como promover a discussão pública e filosófica de problemas relevantes para a humanidade.

Em 2011, e na sequência de uma cimeira regional sobre o ensino da Filosofia, é publicado em livre acesso (isto é, sem restrições de direitos de autor), Teaching philosophy in Europe and North America.  Neste documento são avançadas recomendações para os responsáveis institucionais promoverem a Filosofia e o seu ensino, mas também são avançadas recomendações aos professores de Filosofia. De entre essas recomendações, destacam-se:

  1. O uso de textos clássicos da Filosofia para criar uma consciência pública dos desafios éticos que se colocam à humanidade;

  2. A exploração crítica de correntes filosóficas ocidentais e de outras heranças culturais;

  3. Uma aproximação interdisciplinar ao ensino da Filosofia, de forma a permitir a introdução de uma análise filosófica de assuntos que fazem parte dos currículos do ensino básico e secundário e uma visão interdisciplinar do conhecimento no ensino superior que alargue o alcance da Filosofia a um público mais alargado.

 

Apf_destaque_recursos.png

 

Fontes:

https://apfilosofia.org/dia-mundial-da-filosofia/

https://www.un.org/en/observances/philosophy-day/

 

Um em cada três alunos em todo o mundo foi vítima de bullying (UNESCO)

image560x340cropped.jpg

Esse tipo de violência afeta a saúde mental e física das crianças, by Unicef /Anush Babajanyan VII Photo

 

Unesco marca este 5 de novembro, pela primeira vez, Dia Internacional contra a Violência e o Bullying na Escola; conferência internacional junta governos, especialistas e a comunidade educacional para discutir melhor forma de acabar com o problema. 

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, um em cada três alunos em todo o mundo foi vítima de bullying, com consequências arrasadoras no desempenho escolar, na saúde física e mental. 

Para chamar atenção para este problema e buscar soluções, a agência das Nações Unidas criou o Dia Internacional contra a Violência e o Bullying na Escola, que é celebrado pela primeira vez este 5 de novembro. 

 

 

Fonte:

https://news.un.org/pt/story/2020/11/1731802

 

Dia Mundial do Património Audiovisual

dia-mundial-do-patrimonio-audiovisual.jpg

 

O Dia Mundial do Património Audiovisual é celebrado anualmente a 27 de outubro, desde 2005, sob a égide da Organização das Nações Unidas para a educação, ciência e cultura.

Esta efeméride é uma ocasião para lembrar a memória histórica e cultural contida nos documentos, sejam eles audiovisuais, como filmes, programas de rádio ou televisão. É também uma forma de chamar a atenção para as ameaças que incidem nos presentes dias à salvaguarda dessa mesma herança.

 

 

Fontes:

https://eurocid.mne.gov.pt/eventos/dia-mundial-do-patrimonio-audiovisual (CENTRO DE INFORMAÇÃO EUROPEIA JACQUES DELORS)

 

Dia Mundial da Língua Portuguesa, UNESCO

Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas ...

 

Dia Mundial da Língua Portuguesa, promovido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO)

Primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa será festejado online

Mais de duas dezenas de personalidades lusófonas da política, das letras, da música ou do desporto vão juntar-se num evento virtual para comemorar o primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa, que se assinala a 5 de Maio.

A iniciativa resulta de uma parceria entre o Camões –​ Instituto da Cooperação e da Língua, Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), a representação portuguesa na UNESCO, a ONUNews e a RTP.

“Pela primeira vez vamos comemorar o Dia Mundial da Língua Portuguesa. Tínhamos planeado um evento com grande visibilidade, mas as circunstâncias ditaram que tivéssemos de adaptar o que estávamos a pensar para um formato virtual”, disse à agência Lusa o presidente do Instituto Camões, Luís Faro Ramos.

O evento incluirá uma parte “mais institucional”, na qual serão reunidos testemunhos do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, do Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, do primeiro-ministro português, António Costa, do chefe de estado de Cabo Verde e presidente em exercício da CPLP, Jorge Carlos Fonseca, do secretário-executivo da CPLP, Francisco Ribeiro Telles, e do embaixador Sampaio da Nóvoa, representante de Portugal na UNESCO.

A estes, juntaram-se cerca de duas dezenas de outras personalidades lusófonas incluindo escritores, músicos, cineastas ou cientistas. Entre eles contam-se os escritores Mia Couto (Moçambique), Germano Almeida (Cabo Verde) ou Manuel Alegre (Portugal) e os cantores Adriana Calcanhotto (Brasil), Dino d'Santiago (Portugal/Cabo Verde) ou Carminho (Portugal).

Participam também o futebolista Pedro Pauleta, o canoísta Fernando Pimenta (Portugal), o cineasta Flora Gomes (Guiné-Bissau), a cientista Maria Manuel Mota, o teólogo e cardeal José Tolentino de Mendonça (Portugal) ou o político timorense José Ramos-Horta, entre outros.

“Estes testemunhos são condensados num vídeo que transmite perspectivas muito diferentes, muito ricas, daquilo que representa para essas pessoas a língua portuguesa e a comemoração do Dia Mundial”, adiantou Faro Ramos.

A efeméride contará ainda com um espaço de concerto com os músicos Aline Frazão (Angola), Ivan Lins (Brasil), Teófilo Chantre (Cabo Verde), Manecas Costa (Guiné-Bissau), Stewart Sukuma (Moçambique), João Gil (Portugal), Tonecas Prazeres (São Tomé e Príncipe) e Zé Camarada (Timor-Leste).

De acordo com Luís Faro Ramos, a data será também assinalada com algumas iniciativas na rede do Instituto Camões no estrangeiro, com “um destaque adaptado às circunstâncias”.

“Teremos oportunidade de, em 2021, comemorar de outra maneira. Em 2020, é a comemoração possível. Dentro dos condicionalismos que estamos a viver, é multifacetada, digna e com a visibilidade possível”, disse.

O evento será difundido através das redes sociais do Camões.

 

 

 

 

Fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_de_Portugal,_de_Cam%C3%B5es_e_das_Comunidades_Portuguesas

https://www.publico.pt/2020/04/28/culturaipsilon/noticia/dia-mundial-lingua-portuguesa-sera-festejado-online-1914211

 

 

Ensino e aprendizagem em tempo de pandemia

 


Manual de Apoio à Aprendizagem Flexível durante a Interrupção do Ensino Regular | UNESCO

Experiência Chinesa na Manutenção da Aprendizagem durante o Surto de COVID-19

24.04.20
 

manual.png

O Manual de Apoio à Aprendizagem Flexível durante a Interrupção do Ensino Regular relata a experiência  chinesa na Manutenção da Aprendizagem durante o Surto de COVID-19.

A versão portuguesa foi produzida com o apoio da UNESCO numa ação colaborativa coletiva e voluntária de um grupo de portugueses ligados ao meio académico.

A coordenação foi de Etelberto Costa (Lifelong Learning Platform) e do Laboratório de Inovação Pedagógica e Educação a Distância do Instituto Politécnico de Tomar. De salientar o apoio da Unidade de I&D Techn&Art do Instituto Politécnico de Tomar, da Rede de Bibliotecas Escolares do Ministério da Educação e da APDSI (Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação).

Apesar de relatar a experiência chinesa, as respostas encontradas poderão ser replicadas e / ou reajustadas ao contexto português. 

Este manual está organizado em seis dimensões:

  1. Infraestrutura de rede
  2. Ferramentas de aprendizagem amigáveis
  3. Recursos digitais de aprendizagem adequados  
  4. Métodos de ensino e de aprendizagem
  5. Serviços de apoio para professores e alunos
  6. Cooperação entre empresas, governos e escolas

 

Uma nota para o papel que as bibliotecas poderão ter neste caminho, nomeadamente na criação e disseminação de recursos de aprendizagem (págª. 5 do manual). 

Fonte: https://blogue.rbe.mec.pt/manual-de-apoio-a-aprendizagem-flexivel-2344542