Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Citação do dia

Dia Mundial do Teatro

Jaime-gralheiro_site

 

Dia Mundial do Teatro | 27 de Março

 


 Mensagem da SPA, da autoria do Dramaturgo Jaime Gralheiro para o Dia Mundial do Teatro 


TEATRO: UMA RELIGIÃO COM O HOMEM NO CENTRO
 
Teatro é a palavra que se faz gente, ou, de outra forma, o verbo que se faz carne.
 
No princípio era o Medo e o Medo tomou conta do Homem inerme perante a fúria incontrolada dos elementos naturais. E foi, então, que nasceu Deus.
 
Invocando os favores e a proteção desse Deus-dos-trovões-raios-e-coriscos, o Homem inventou palavras “santas” e gestos rituais que lhe pareceram mais adequados ao momento e do agrado desse tal deus das fúrias. Nessa altura, e sem que de tal se desse conta, o Homem começava já a dar os seus primeiros passos na invenção o Teatro que só veio a acontecer quando o espetáculo da palavra e do ritmo balético dos gestos, em vez de se dirigir aos deuses, começou a dirigir-se aos outros homens. 
 
Foi nesta primevo tempo que o Homem descobriu mais uma trincheira contra o tal Medo e, até, contra a prepotência dos próprios deuses.  
 
E foi desta sorte que, reunidos no mistério do faz de conta, os homens foram “ardendo” na fogueira das suas paixões, ao mesmo tempo que se sentiam mais próximos e solidários uns com os outros, enfrentando tudo e, até, os próprios deuses. 
 
A força do Teatro estava exatamente aí, na capacidade de, através do jogo cénico, transformar as palavras em gente viva e as coisas noutras coisas, tudo ali feito à vista do espetador, de tal forma que, muitas vezes, as coisas e pessoa inventadas tinham mais força que as coisas e pessoas invocadas.  
 
É esta capacidade de transformar a realidade rasteira do dia-a-dia numa outra realidade superior mais verdadeira e universal que aproxima o Teatro do poema e faz do Teatro a vida em carne viva, recreada sobre as tábuas de um palco. 
 
Enfrentando o Medo, o Teatro passou a ser o lugar e o tempo de combate onde a inteligência, a coragem e a paixão se superiorizavam a todos as violências opressoras, vindas elas donde viessem! 
 
A partir daqui, o Teatro passou a ser uma arma de combate-defesa nas mão dos homens, tornando-se um inimigo do Poder anti-humano que só o suportava se ele  se pusesse ao seu serviço.
 
Mas o Teatro não aceitou ser escravo e foi proibido, passando à clandestinidade das catacumbas, onde renasceu escondido sob a própria capa do opressor. 
 
E foi uma demoníaca gargalhada e um descarado manguito contra a falsa fé nesse deus opressor que demonstraram estar o Teatro sempre vivo e escondido na alma do Homem livre. E eis o  “milagre” e o mistério do seu renascimento nas curvas e contra curvas do tempo que se enrola!
 
Mas foi essa grande gargalhada e esse atrevido manguito que empurraram o Teatro para as fogueiras da “santa” Inquisição, onde voltou a arder, agora, na catarse da sua própria perdição… 
 
Nesta linha, o Teatro acabou por assentar praça contra o Homem e, despudoradamente, apareceu desfilando nas grandes paradas hitlerianas e fascistas. 
 
Só que, há sempre alguém que resiste/ há sempre alguém que diz não!  Esse alguém foi Bertold Brecht e todos aqueles que, arrancando o Teatro dos desfiles nazis e fascistas, o refizeram como local e tempo onde a beleza da inteligência e da liberdade nos torna mais atentos e exigentes na construção de um mundo mais livre e justo à medida do Homem livre. 
 
O Teatro procura estar, hoje, de novo, ao lado do Povo contra todos aqueles que dele querem fazer um capacho.
 
Por isso, contra o novo Medo, viva o Teatro livre!
 
Jaime Gralheiro
 
Fonte:
https://www.spautores.pt/comunicacao/noticias/dia-mundial-do-teatro-27-de-marco
 

Dia Mundial do Teatro

2020-03-28_0323diamundialteatro2020.png

Teatro Nacional São João, no Porto. Foto: Estela Silva/Lusa

 

Um Dia Mundial do Teatro ao domicílio

Com as salas fechadas e os artistas em quarentena, teatros e companhias do país assinalam a efeméride desta sexta-feira com uma série de actividades nas suas plataformas online. D. Maria II, São João e a Teatro Nacional 21 são alguns dos agentes envolvidos.

O objetivo da data é promover a arte do teatro junto das pessoas.

Costuma ser um dia de festa, cheio de iniciativas e portas abertas. Mas, este ano, a única porta aberta para o teatro vai ser a internet. 

Nestas circunstâncias únicas que vivemos, é nas redes sociais, sites e outras plataformas de “streaming” que os teatros encontram a sua grande sala de teatro. Os dois teatros nacionais, o D. Maria II, em Lisboa, e o São João, no Porto, prepararam programação para assinalar a data.

O teatro é uma arte milenar e funciona como um meio de divulgação da cultura de diferentes povos. Desde a antiguidade, o homem usou o teatro como forma de expressão.

Existem vários géneros teatrais como a comédia, o drama, a farsa, a tragédia, a tragicomédia, o melodrama, a revista e o teatro infantil, entre outros.

Origem da data

A data foi criada em 1961 pelo Instituto Internacional do Teatro. No Dia Mundial do Teatro, várias organizações culturais apresentam espetáculos teatrais para comemorar a efeméride, permitindo o acesso gratuito aos mesmos.

Teatro em Portugal

Gil Vicente, autor de diversas obras teatrais, é um dos nomes mais conhecidos do teatro português. O Auto da Barca do Inferno e o Auto da Índia são algumas das suas obras mais populares. Embora Gil Vicente seja considerado o pai do teatro português, existem inúmeros registos de manifestações desta arte muito anteriores ao teatro vicentino, classificadas essencialmente em dois grandes grupos: o teatro religioso e o teatro profano.

Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett, é outra criação máxima do teatro português.

Grandes peças de teatro

Exemplos de grandes peças de teatro mundiais:

  • O avarento, Moliére
  • Salomé, Oscar Wilde
  • Esperando Godot, Samuel Becket
  • Macbeth, Shakespeare
  • Édipo, Sófocles
  • Quatro quartetos, T. S. Eliot
  • Volta ao lar, Harold Pinter
  • A morte do caixeiro viajante, Arthur Miller
  • A Santa Joana dos Matadouros, Bertolt Brecht
  • Estado de sítio, Albert Camus

 

 

Fontes: 

 

https://rr.sapo.pt/2020/03/27/vida/dia-mundial-do-teatro-saiba-tudo-o-que-pode-ver-sem-sair-de-casa/noticia/186952/

https://www.calendarr.com/portugal/dia-mundial-do-teatro/

https://www.publico.pt/2020/03/27/culturaipsilon/noticia/dia-mundial-teatro-domicilio-1909585

Dia Mundial do Teatro

O inconformismo do teatro e a memória dos conflitos bélicos mundiais dominam as mensagens da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) e da UNESCO, para o Dia Mundial do Teatro, que se celebra [hoje] na sexta-feira, por todo o Mundo. (in Jornal i [em linha] [consult. 2015-03-27 16:16:19]. Disponível na Internet: http://www.ionline.pt/)

 

O Auto_de_Inês_Pereira_de_Gil_Vicente.jpgDia Mundial do Teatro foi instituído em 1962 pela UNESCO.

Celebra-se, desde então, um pouco por todo o mundo esta data que evoca a arte de representar.

O teatro é uma das mais antigas expressões artísticas do Homem, que sempre lhe dedicou espaços arquitetónicos notáveis, principalmente na Época Clássica e, depois, no Renascimento, até aos nossos dias. Pode ter nascido já no III milénio a. C., no Antigo Egito, com as celebrações em torno dos momentos marcantes da figura do faraó, principalmente naquilo que o divinizava ou fazia dele senhor das suas terras e súbditos. Esta sacralidade vigorará na Antiguidade Clássica, quando se representavam as façanhas dos deuses, como Dioniso, ou tragédias e episódios da criação do Homem e do mundo. Recorde-se que o termo teatro para os Gregos, como para os Romanos, designava o espaço cénico e o espaço da assistência, o conjunto arquitetónico onde se desenrolariam géneros como o drama ou tragédia, a comédia, os enredos, etc.

in Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2015. [consult. 2015-03-27 16:08:19]. Disponível na Internet:

 

 

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.