Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Dia Mundial da Criança

World Children's Day
20 November

 

 

children.jpgStudents at the “25 de Junho” School, located in Beira, Mozambique.

PHOTO:UN Photo/Eskinder Debebe
 
O Dia Mundial da Criança é celebrado em vários países, contudo a data de comemoração difere de país para país.
 
Em Portugal é celebrado no dia 1 de Junho contemplando actividades como desfiles, visitas escolares, leitura de textos, declamação de poemas, desporto, desenho, entre outros.
 
O Dia Mundial da Criança é comemorado oficialmente pela ONU a 20 de novembro, data em que, no ano de 1959, foram aprovados na Assembleia-Geral os Direitos da Criança. Nessa mesma data, mas em 1989, foi adotada pela Assembleia-Geral da ONU a Convenção dos Direitos da Criança que Portugal ratificou no dia 21 de setembro de 1990.
 
 
Para mais detalhes, clique aqui
 
 
 
 
Poema de Fernando Pessoa:

“Quando as crianças brincam
E eu as oiço brincar,
Qualquer coisa em minha alma
Começa a se alegrar.
E toda aquela infância
Que não tive me vem,
Numa onda de alegria
Que não foi de ninguém.
Se quem fui é enigma,
E quem serei visão,
Quem sou ao menos sinta
Isto no coração”

 

 

 

Fontes:

 
 
 

Fernando Pessoa - Aniversário natalício

cfp_pessoa-casaFP.png

O Poeta dos Muitos Rostos

Fernando António Nogueira Pessoa nasceu a 13 de Junho de 1888, no Largo de São Carlos, em Lisboa.

Começou a escrever em criança e fê-lo sobretudo em português, mas também em inglês e francês. Viveu 47 anos e passou grande parte deste tempo a escrever. Considerava que ser poeta e escritor não constitui profissão, mas vocação.

Morreu a 30 de Novembro de 1935, em Lisboa, cidade referida em muitos dos seus poemas e cenário do famoso Livro do Desassossego. É nesta cidade que se encontram os seus papéis, depositados na Biblioteca Nacional de Portugal, e a sua biblioteca particular, depositada na Casa Fernando Pessoa e disponível para consulta online.

 

 

Sugestão de Leitura: LIVRO DO DESASSOSSEGO

Publicado pela primeira vez em 1982, quase meio século após a morte de Fernando Pessoa, o "Livro do Desassossego" é uma obra-prima pouco convencional, resistente às habituais classificações literárias. A palavra desassossego refere-se à angústia existencial do narrador, sim, mas também à sua recusa em ficar quieto, parado. Sem sair de Lisboa, este viaja constantemente na sua maneira de ver, sentir e dizer. Ler este livro, repleto de emoção e observações penetrantes, é uma experiência estranhamente libertadora.

A edição [que sugerimos]  procura, na medida possível, respeitar a visão que o próprio autor do Livro nutria para a sua publicação. Inclui todo o material explicitamente destinado à obra e alguns textos adicionais que com quase toda a certeza lhe pertencem e cujo estatuto conjetural é, de qualquer modo, assinalado. A transcrição dos originais, constantemente melhorada ao longo dos anos, é a mais apurada de todas as edições feitas até à data. A introdução do organizador traça a evolução do Livro que ocupou Pessoa durante mais de vinte anos, propondo-nos novas linhas de leitura.

 

 

 

Fontes:

https://www.casafernandopessoa.pt/pt/fernando-pessoa

https://www.fnac.pt/Livro-do-Desassossego-Fernando-Pessoa/a808222#omnsearchpos=2

Ler, em período de contingência

Neste momento em que é imperativo o isolamento social, em que é forçoso permanecermos em casa, porque não aproveitar o tempo para ler? Ler o que andávamos a tentar ler há tanto tempo, ler o que temos de ler ou ler, simplesmente, porque sim!

E porque as bibliotecas do nosso agrupamento estão temporariamente encerradas, talvez seja o tempo de desfrutarmos a leitura através das tecnologias digitais.

Nas várias bibliotecas digitais que já vamos tendo ao nosso dispor, as ofertas são muitas. O que importa é LER!

 

Entretanto, apresentamos algumas sugestões de leitura:

pessoa a.jpg

 

Afinal o caracol, de Fernando Pessoa.

Texto: Fernando Pessoa; ilustração: Mafalda Milhões; edição: Bichinho de Conto. (Interpretação Cristina Paiva, Andante Associação)

 

 

 

 

4ABelaAparecidax_op.jpg

 

Bela Aparecida, 

O conto “Bela Aparecida” foi vencedor do 1.º prémio, na categoria I, da 4.ª edição, do Prémio de Literatura Infantojuvenil Inclusiva “Todos Podem Ler”. Este prémio é uma iniciativa da Direção Regional de Educação, da Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia, da Região Autónoma da Madeira, com intenção de realização anual, desde 2013.01-04-2020 Direção Regional de Educação

 

 

 

 

Imagem1.jpg

 

Contos, de Hans Christian Andersen 

Aqui encontras muitos contos de Hans Christian Andersen para leres, ouvires e explorares realizando jogos e outras atividades.

Também podes ilustrar e enviar o teu desenho para ser publicado. Escolhe um dos contos e diverte-te! Se for caso disso, pede ajuda aos teus pais ou a um dos teus irmãos.

Este site foi concebido, realizado e é mantido pela equipa do Centro de Competência em TIC da ESSE de Santarém.

 

 

 

Imagem2.jpg

Eu acredito, de David Machado e Alex Gozblau

“Eu acredito” de David Machado e Alex Gozblau, na Biblioteca Municipal de Ourém
Sinopse: Leitura em voz alta, na Biblioteca Municipal de Ourém, do livro “Eu acredito”, recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o 3.ºano de escolaridade.
“EU ACREDITO” é um livro sobre a magia e o encanto de ser criança. Um menino que transforma as suas dúvidas em certezas e nos devolve a todos a esperança e a beleza da infância.
Público-alvo: crianças > 8 anos e adultos que ainda não se tenham esquecido de acreditar.

 

 

350_9789892040790_na_noite_em_que_morri.jpg

Na Noite em que Morri, de Tiago Gonçalves

Uma turbulenta noite bafejada pela morte de um amigo torna-se na sucessiva e crescente mudança interna latente para quem se vê só.

 

 

 

 

 

 

 

cover-livroKAFKA.jpg

O Processo, de Franz Kafka

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura.

Um belo dia a existência pacata de Joseph K., um bem-sucedido gerente bancário, vê-se abalada quando três homens entram no quarto da pensão onde reside para o prenderem. Não sabe quem o mandou prender nem muito menos do que o acusam — sabe apenas que está envolvido num processo obscuro e absurdo que o leva a percorrer as secretarias labirínticas nas quais decorre a instrução, conduzida por juízes menores cuja única incumbência é inquiri-lo.
Todos aqueles com quem Joseph K. se cruza parecem saber mais do seu processo do que ele, e quanto mais K. se esforça por se livrar do estranho processo, mais se vê envolvido nele.

 

 

Imagem3.jpg

A Fórmula de Deus, de José Rodrigues dos Santos

Nas escadarias do Museu Egípcio em pleno Cairo, Tomás Noronha é abordado por uma desconhecida. Chama-se Ariana Pakravan, é iraniana e traz consigo a cópia de um documento inédito, um velho manuscrito com um estranho título e um poema enigmático.O inesperado encontro lança Tomás numa empolgante aventura, colocando-o na rota da crise nuclear com o Irão e da mais importante descoberta jamais efectuada por Albert Einstein, um achado que o conduz ao maior de todos os mistérios: a prova científica da existência de Deus. Uma história de amor, uma intriga de traição, uma perseguição implacável, uma busca espiritual que nos leva à mais espantosa revelação mística de todos os tempos. Baseada nas últimas e mais avançadas descobertas científicas nos campos da física, da cosmologia e da matemática, A Fórmula de Deus transporta-nos numa surpreendente viagem até às origens do tempo, à essência do universo e o sentido da vida.

 

 

msc.jpg

Dispersão , de Mário de Sá-Carneiro

Poeta e ficcionista, com Fernando Pessoa e Almada Negreiros, Mário de Sá-Carneiro constitui um dos principais representantes do Modernismo português. Partindo para Paris, em 1912, para cursar Direito, estudos que abandonaria pouco depois, a figura de Mário de Sá-Carneiro assume uma importância basilar para a compreensão do modo como o Modernismo português se foi formando com caracteres próprios na recepção das correntes de vanguarda europeias, processo de que a...

 

Fontes:

http://ailhadesonhos.blogspot.com/

http://lapiselviracs.blogspot.com/2012/11/afinal-o-caracol-nao-e-um-espetaculo.html

http://projectoadamastor.org/17-websites-onde-pode-descarregar-gratuitamente-ebooks-em-portugues/

https://lerebooks.wordpress.com/2011/01/24/ebook-da-semana-dispersao-12-poesias-mario-de-sa-carneiro/

https://www.bertrand.pt/autor/mario-de-sa-carneiro/14272

https://www.bertrand.pt/livro/o-processo-franz-kafka/13991761

https://www.kobo.com/pt/pt/ebook/a-formula-de-deus

 

 

Aniversário da morte de Fernando Pessoa

Morte de Fernando Pessoa
Nasceu a 13 de junho de 1888

A 30 de novembro de 1935, Portugal em particular e a literatura universal em geral perdem um dos seus maiores vultos: Fernando Pessoa.

É considerado, ao lado de Luís de Camões, o maior poeta da língua portuguesa.

Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa, a 13 de junho de 1888 mas foi educado na África do Sul, numa escola católica irlandesa, o que lhe possibilitou um domínio absoluto da língua inglesa para além do idioma materno.

Das quatro obras que publicou em vida, três são na língua inglesa.

Traduziu para português obras de vários autores da literatura inglesa, nomeadamente Shakespeare e Edgar Allan Poe e verteu para inglês obras de autores portugueses, com especial destaque para António Botto e Almada Negreiros.

A sua capacidade em se desdobrar em várias entidades permitiram-lhe criar diversos heterónimos, cada um deles com a sua própria personalidade, tais como Alberto Cairo (um camponês guardador de rebanhos), Ricardo Reis (um clássico/helenista) e Álvaro de Campos (um engenheiro naval vocacionado para as tecnologias).

A Mensagem é a sua obra mais lida e estudada.

 

Fonte: https://www.leme.pt/magazine/efemerides/1130/

 

 

Dia mundial da poesia | 2019

21.03.19

poesia.jpg

Hoje, dia 21 de março, celebra-se o Dia Mundial da Poesia. Este dia foi criado, em 1999, na 30.ª Conferência Geral da UNESCO.

Aqui pode ler a Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO para este dia, este ano.

 

Para assinalar o Dia Mundial da Poesia a Rede de Bibliotecas Escolares partilha um conjunto de poema de diversos autores da poesia portuguesa, um artigo e alguns e-books. 

 

 

E-books:

 

 

Fonte: https://blogue.rbe.mec.pt/dia-mundial-da-poesia-2019-2244811