Segunda-feira, 22 de Março de 2010

Dia Mundial da Poesia

21 de Março

 

Assinala-se hoje o Dia Mundial da Poesia.

Este Dia Mundial foi criado pela UNESCO na sua XXX Conferência Geral, em 16 de Novembro de 1999. Com o objectivo primeiro de defesa da diversidade linguística, actualmente o propósito deste dia é "promover a leitura, escrita, publicação e ensino da poesia através do mundo."

 

De acordo com as notícias divulgadas por diversos órgãos de comunicação social, "Para comemorar a efeméride, as ministras da Cultura, Gabriela Canavilhas, e da Educação, Isabel Alçada, participam hoje na maratona de leitura organizada pelo Centro Cultural de Belém (CCB). Na iniciativa (de entrada livre), que começa às 14:30 na sala Fernando Pessoa (passado posteriormente por outras salas), participam, entre outros nomes, os poetas António Mega Ferreira, Fernando Pinto do Amaral, Inês Pedrosa, Teresa Rita Lopes, José Gil, Cláudia Jardim, José Jorge Letria, Álvaro Magalhães, Amadeu Baptista, Pedro Mexia, Maria do Rosário Pedreira, António Poppe, Pedro Tamen, Filipa Leal, Armando Silva Carvalho, Nuno Júdice, Sérgio Godinho e ainda o madeirense José Tolentino Mendonça.

No Palácio de Belém, o Dia Mundial da Poesia será celebrado com uma tertúlia chamada Café - Poesia - uma iniciativa de Maria Cavaco Silva que contará com a participação de vários poetas, actores e cantores."

 

Nós, na escola, na nossa Biblioteca, vamos assinalar este Dia Mundial da Poesia 2010 durante toda a próxima semana através, entre outras actividades, de uma exposição realizada pelos alunos do 8ºA, mas, amanhã, dia 22, os alunos da turma de 10º ano do curso de Animação Sócio-Cultural vão espalhar POESIA entre nós.

 

Nós, por aqui, hoje deixamos apenas um "cheirinho" poético.

 

Urgentemente

 

 

É urgente o amor
É urgente um barco no mar

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos, muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Eugénio de Andrade, in "Até Amanhã"

 


 

 

publicado por essmo-becre às 00:52
link do post | comentar | favorito

.Citação do dia

.Catálogo On-Line

Bibliotecas do Agrupamento

.Tutorial - consulta do catálogo

>

.Sugestões

«Este livro é sobre os azulejos que decoram um grande número de estações de caminho­-de­-ferro. Ou antes, sobre as estações de caminho­-de­-ferro. Melhor ainda, sobre as estações de ca­mi­nho­-de­-ferro da vida da Agustina. Mas o que finalmente temos é uma longa, lenta, amorosa e perspicaz divagação sobre as vidas que se cruzavam com ela nas estações de caminho­-de­-ferro e nos comboios, designadamente na linha do Douro, a que vai ou, antes, ia de São Bento e de Campanhã, no Porto, até Barca d’Alva, antes de entrar por Espanha adentro.» Do Prefácio de António Barreto Fonte:"https://www.fnac.pt/"

.pesquisar

 

.links

.Rádio miúdos

https://www.radiomiudos.pt/

.Música

.posts recentes

. Dia Mundial da Poesia

.subscrever feeds

.Visitantes

.Professor bibliotecário: ode

.Junho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags