Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Dia Internacional da Criança com Cancro

diainternacionalcriancacancro.jpg

O Dia Internacional da Criança com Cancro é celebrado a 15 de fevereiro.

Este dia foi criado pela Childhood Cancer International

Esta data mundial visa ajudar todas as crianças vítimas de cancro a conseguirem acesso a melhores tratamentos e medicamentos e ao mesmo tempo ajudar as famílias e os amigos das crianças vítimas da doença.

Com este dia pretende-se, ainda, educar o público em geral sobre o cancro na criança, promover o trabalho das entidades e organizações que trabalham nesta área e reunir verbas através de eventos de angariação de fundos.

Todos os anos são diagnosticados em Portugal 350 novos casos de cancro em crianças. Os especialistas defendem que o diagnóstico precoce é fundamental, permitindo salvar 8 em cada 10 crianças.

Os tipos de cancros mais frequentes nas crianças são as leucemias (glóbulos brancos), tumores do sistema nervoso central e linfomas (sistema linfático).

Fontes:

https://www.calendarr.com/portugal/dia-internacional-da-crianca-com-cancro/

https://www.sns.gov.pt/noticias/2021/02/15/dia-internacional-da-crianca-com-cancro/

 

Dia Mundial da Luta Contra o Cancro

Assinalou-se ontem, dia 4 de fevereiro, o dia de LUTA contra uma das doenças mais temidas da atualidade.

Na realidade, 

 «...incidência de cancro tende a aumentar. Todos os anos, cerca de 8 milhões de pessoas morrem de cancro e muitas destas mortes podem ser evitadas com maior apoio governamental e financiamento para programas de deteção, prevenção e tratamento.

Estima-se que o número de casos de cancro e mortes relacionadas a nível mundial venha a duplicar nos próximos 20-40 anos, especialmente nos países em desenvolvimento, os menos equipados para lidar com o impacto social e económico da doença.»

«Tal como o cancro nos afeta, a todos, de diferentes maneiras, todos temos o poder de agir para reduzir o impacto que o cancro tem sobre as pessoas, famílias e comunidades. Assim, o Dia Mundial do Cancro é uma oportunidade para refletir e para agir! E cada um pode fazer a diferença.»

É neste contexto que hoje, dia 5 de fevereiro, iremos ter a possibilidade de assinalar a data, assistindo a uma palestra levada a cabo pela Liga Portuguesa contra o Cancro, na Biblioteca Municipal.

Esta atividade destina-se aos alunos de 9º ano.

Mas, como atrás foi dito, todos temos o poder de agir para reduzir o impacto do cancro.

Seja apenas mais um a dizer SIM a esta causa!

 

 

Cuidado com os telemóveis!

Telemóveis. OMS aconselha kits de mãos livres e sms

por Marta F. Reis, Publicado em 02 de Junho de 2011  |

 

 

A Organização Mundial de Saúde não dá certezas, mas é a primeira vez que os telemóveis surgem de forma oficial como potenciais causadores de cancro. Esta semana a Agência Internacional para a Investigação do Cancro (IARC), um dos braços da OMS, classificou a exposição a campos electromagnéticos de radiofrequência como possivelmente carcinogénicos. A decisão aconselha "medidas pragmáticas" como o uso de kits mãos livres e mensagens escritas, defendeu o director do organismo Cristopher Wild.

A 20 de Maio, uma aliança internacional de investigadores dedicados ao estudo de campos electromagnéticos endereçou uma carta aberta à IARC, onde sublinhava ser "inapropriado e pouco profissional fazer avaliações tão importantes sem os dados científicos necessários estarem disponíveis". O objectivo da IEMFA era adiar a reunião de 31 especialistas da IARC, realizada em Lyon no final de Maio, e de onde sairia a nova classificação - o i apurou que o estudo completo será publicado dentro de duas semanas na revista "Lancet".

Uma das críticas da IEMFA era só estarem disponíveis metade dos resultados do estudo Interphone, que analisou a utilização de telemóvel em 6400 doentes com tumores em zonas onde a radiação dos telemóveis é absorvida (glioma, meningioma e neuroma do acústico). No anúncio desta semana, a agência revelou ter tido acesso aos resultados por publicar e adianta que a principal suspeita recai para já num risco acrescido de glioma, um cancro do sistema nervoso central. Segundo dados obtidos até 2004, quem faz pelo menos 30 minutos de chamadas por dia ao longo de dez anos parece ser 40% mais susceptível a este cancro. "Pode haver algum risco, e por isso precisamos de continuar a investigar a relação entre os telemóveis e o cancro", conclui a IARC.

Uma das primeiras reacções na comunidade internacional é que isto já está a ser feito, mas leva tempo. A par do Interphone, um dos estudos mais ambiciosos foi lançado em 2010 e envolve 2,4 milhões de utilizadores de telemóveis, que serão acompanhados por 30 anos. Dentro de cinco esperam-se resultados sobre sintomas associados ao uso do telemóvel, como dores de cabeça ou perturbações do sono. Sobre cancros, só em 2020.

Rachel Smith, uma das investigadoras do Cosmos, disse ontem ao i que a classificação da IARC "é justa, reconhece as dificuldades metodológicas dos estudos e as incertezas científicas". Para a CTIA, uma das maiores associações da indústria de telecomunicações norte-americana, faltam novas conclusões científicas e a classificação "é a mesma que em tempos a IARC deu aos pickles e ao café". Na homóloga australiana, a crítica tem a ver com a ausência de uma quantificação do risco, uma vez que já existem limites de radiação para minorar efeitos nocivos para a saúde. Em Portugal, a Direcção-Geral da Saúde reconheceu que o estudo não vem mudar nada, mantendo-se as recomendações actuais para as comunicações móveis.

Ainda assim, algo mudou. Basta lembrar o percurso do tabaco na saúde pública. Os primeiros estudos que associaram o fumo ao cancro, primeiro da boca e depois dos pulmões, foram publicados na "British Medical Journal" em 1956. A classificação de "cancerígeno" pela IARC (que só iniciaria este trabalho 1969) só surgiria 30 anos mais tarde. E só em 2002 o fumo passivo, que entretanto motivou as novas leis do tabaco, foi considerado carcinogénico. 

 

Acedido em 2 Junho 2011 em: http://www.ionline.pt/conteudo/127615-telemoveis-oms-aconselha-kits-maos-livres-e-sms