Sábado, 15 de Junho de 2013

15 de junho de 1970 - Morte de Almada Negreiros; nasceu a 7 de abril de 1893

 

 

 

A 15 de Junho de 1970, morre, em Lisboa, com 77 anos de idade, José de Almada Negreiros, pintor e escritor português ligado ao grupo modernista.
Fonte: Diário de Lisboa n.º 17056 de 16-06-1970, 2.ª Edição, 50.º ano de publicação, pp. 1, 9 e 14


«Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a humanidade já estavam escritas, só faltava uma coisa - salvar a humanidade». 


In A Invenção do Dia Claro, de José de Almada Negreiros (1921). A Editora Assírio & Alvim publicou, em Maio de 2005, uma edição fac-similada da de 1921, cuja leitura recomendamos.


http://www.leme.pt/historia/efemerides/0615/


 

MANIFESTO ANTI-DANTAS


 Este texto virulento do jovem Almada (que contava 23 anos) terá sido escrito entre Abril e Setembro de 1916, sendo, portanto, anterior à conferência de 1917, início oficial do movimento futurista em Portugal.

Saiu este folheto de 8 páginas impresso em papel de embrulho, ao preço de 100 reis, todo grafado em maiúsculas e utilizando aqui e além, para sublinhar a onomatopeia - PIM!-, uns ícones representando uma mão no gesto de apontar. Segundo se diz, terá esgotado nos primeiros dias, por obra do açambarcamento do próprio visado. Apesar disso, ou graças a isso, o escândalo rapidamente se propalou e a polémica causada teve uma grande intensidade. É que, no fundo, não é só a pessoa de Dantas que é atacada, mas toda uma geração de literatos, actores, escritores, jornalistas, etc, que ele personificava: "Uma geração que consente deixar-se representar por um Dantas é uma geração que nunca o foi". Através da ironia e do sarcasmo, utilizando uma linguagem iconoclasta e insultuosa, abusando de exclamações, repetições e enumerações, Almada zurze o academismo instalado e os valores tradicionais que pretendia abalar.

Em suma, trata-se de um ataque implacável ao edifício cultural e artístico vigente que impedia a entrada e frutificação das novas correntes estéticas em Portugal. É Almada a abrir caminho ao Futurismo e a si próprio.


http://www.prof2000.pt/users/tomas/manifesto_anti.htm

publicado por essmo-becre às 02:36
link do post | comentar | favorito

.Citação do dia

.Catálogo On-Line

Bibliotecas do Agrupamento

.Tutorial - consulta do catálogo

>

.Sugestões

"Frida" é um percurso pessoal e intimista pelos principais momentos da vida da aclamada artista mexicana, através dos textos poéticos e metafóricos de Sébastien Pérez, onde afloram reflexões e emoções da própria pintora recolhidas no seu diário e correspondência; e complementado com a abordagem moderna e transgressora de Benjamin Lacombe, que aí recria alguns dos seus quadros mais célebres, desde “Raízes” até ao “Veado ferido”, passando por “Autorretrato com macacos”. Com “Frida”, o leitor fica cativado pelo poderoso olhar da protagonista, que dessa forma o conduz ao longo deste magnífico volume visual, caracterizado pela sua elegância, pelo intenso colorido das suas ilustrações e pelo requinte da sua edição forrada a tecido, com páginas que se sobrepõem umas às outras e se complementam pelo recurso a cortantes. Fonte: www.fnac.pt

.pesquisar

 

.links

.Rádio miúdos

https://www.radiomiudos.pt/

.Música

.posts recentes

. 15 de junho de 1970 - Mor...

.subscrever feeds

.Visitantes

.Professor bibliotecário: ode

.Setembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags