Quarta-feira, 16 de Novembro de 2016

José Saramago

José Saramago (1922 - 2010) fez das letras a sua enxada, falou dos trabalhadores para os trabalhadores, ficcionou a realidade enquanto desenhava a alma humana nos seus livros. Foi Nobel da Literatura.

saramago-rtpensina.PNG

 

José de Sousa Saramago, nasceu em 16 de Novembro de 1922, na Azinhaga do Ribatejo, Santarém. Em 1998 recebeu o Prémio Nobel da Literatura, como reconhecimento de uma obra literária traduzida em mais de trinta línguas.

Foi funcionário publico, escritor, ensaísta, jornalista; chegou a sub-director do jornal Diário de Noticias e com a Literatura contribuiu na busca de sentido para o mundo e para as coisas.

Em 1947 publica o primeiro livro: “Terra de Pecado”, e com o romance “Levantado do Chão”,Prémio Cidade Lisboa em 1980, afirmou-se como um autor de pensamento de esquerda, que fala de trabalhadores para trabalhadores. É “Memorial do Convento” que o confirma como um dos grandes autores de língua portuguesa.

Mas o seu estilo e os temas que aborda são incómodos:  “O Evangelho Segundo Jesus Cristo” provoca em 1992 um “terramoto”, que culmina numa discussão em Assembleia da República para o excluir da lista de nomeados ao Prémio Literário Europeu.

Os mais de quarenta titulos que escreveu inspiraram peças de teatro e filmes como “Ensaio Sobre a Cegueira” do brasileiro Fernando Meireles.

Viveu os últimos anos de vida ao lado da sua mulher Pilar del Rio na ilha de Lanzarote no arquipélago das Canárias.

Com a sua obra literária inventou a realidade, numa mistura de ficção e factos, contando estórias dentro da História.

 

 

Fonte: http://ensina.rtp.pt/

publicado por essmo-becre às 06:27
link do post | comentar | favorito

.Citação do dia

.Catálogo On-Line

Bibliotecas do Agrupamento

.Sugestões

Quando referrimos o património cultural, há a tentação de pensar que falamos de antigualhas, de coisas do passado, irremediavelmente perdidas. Puro engano! Referimo-nos à memória viva, seja referida a monumentos, sítios, tradições, seja constituída por acervos de museus, bibliotecas e arquivos. Tratamos de conhecimentos ou de expressões da criatividade humana... Ter memória é, assim, respeitarmo-nos. Cuidar do que recebemos é dar atenção, é não deixar ao abandono. Daí a presente obra procure aliar a ideia de peregrinação, no sentido da demanda de outros lugares e de outras gentes, através da sua história, como se já fizera em "Na Senda de Fernão Mendes", à memória da cultura e da língua portuguesa, como língua de várias culturas e cultura de várias línguas. Neste Ano Europeu do Património Cultural trata-se de um apelo a que a cultura seja compromisso, cuidado, atenção e conhecimento. Fonte:"https://www.fnac.pt/"

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
17
18
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30

.Rádio miúdos

https://www.radiomiudos.pt/

.links

.Música

.posts recentes

. VOTEM E PARILHEM: Autores...

. Dia Mundial do Livro - qu...

. Guião de pesquisa de info...

. Guião de pesquisa de info...

. Dia Mundial do Livro e do...

. Dia Mundial do Livro 2018

. Prémio Escolar AEPC 2018

.subscrever feeds

.Visitantes

.Professor bibliotecário: ode

.tags

. todas as tags