Terça-feira, 20 de Março de 2018

Diz-me onde lês...

por José Becerra Vitorino

(Equipa da BE Lídia Jorge)

 

Amani_Library_04.jpg

 

Depois da fantástica biblioteca com que começámos a nossa viagem, na China, a 25 de Janeiro, o blogue da BECRE da Escola Secundária Sta Maria do Olival, continua à descoberta de outros lugares que foram feitos para acolher o tão natural prazer de ler um livro.

E, da grande Aldeia para a pequena aldeia, vamos hoje a um lugar na Tanzânia.

Longe dos grandes efeitos cénicos que vimos antes, e talvez para que o deslumbramento não nos turve a visão do mundo real, a pequena biblioteca Amani, é, mais do que muitas outras, uma afirmação de consciência e de liberdade vinda de um mundo que esquecemos vezes demais.

O estúdio SoPA - Social Practice Architecture, das arquitetas Patricia Báscones e Lara Briz, exerce a prática da arquitetura como instrumento para melhorar as condições de vida dos povos mais carentes. E conseguem torná-lo possível combinando uma desenho assente no conhecimento da arquitetura, como reflexão global, com as técnicas vernaculares e os materiais locais.

Esta obra recuperou a técnica da construção em terra, que a população vinha rejeitando por associá-la a uma forma de pobreza, e tira partido das qualidades da terra e da madeira como material moderno e sustentável.

A biblioteca Amani, surge associada à escola local, fornecendo espaços que convidam a outras formas de aprender, diferentes da aula tradicional. Ao mesmo tempo, faz a transição para espaços mais abertos, dedicados à leitura como recreio. Foi construída em 2016, com terra, madeira e bambu, tudo disponível localmente. A obra foi construida pela população que empregou as técnicas ancestrais de manufatura e artesanato.

(fonte de informação - SoPA e Archdaily)

Amani_Library_01.jpg

Amani_Library_03.jpg

Amani_Library_06.jpg

Amani_Library_12.jpg

Amani_Library_18.jpg

 

publicado por essmo-becre às 16:15
link do post | comentar | favorito

.Citação do dia

.Catálogo On-Line

Bibliotecas do Agrupamento

.Tutorial - consulta do catálogo

.Sugestões

Pela primeira vez, as cartas de amor de Fernando Pessoa e de Ofélia Queiroz são apresentadas em edição conjunta. Uma edição conjunta é a forma mais adequada para dar a ler uma correspondência, que pressupõe sempre um diálogo, uma interação, a existência concreta de dois interlocutores. Cada carta é, em si mesma, ou a resposta a outra carta ou pretexto para ela. Até quando o destinatário opta por não responder, de algum modo, o seu silêncio se inscreve na carta seguinte. Assim, uma relação amorosa, sustentada epistolarmente, como a de Pessoa e Ofélia, só é, na verdade, entendível quando os dois discursos se cruzam e mutuamente se refletem. Neste livro a ideia comum de que estaríamos perante um namoro platónico, sem réstia de erotismo, desfaz-se por inteiro. Vemos, enfim, surgir um Pessoa diferente do outro lado do espelho. Um Pessoa não só sujeito e manipulador da escrita, mas um Pessoa indefeso, objeto do discurso (e do afecto) de outrem, personagem de uma história real. Fonte:"https://www.wook.pt/livro/cartas-de-amor-de-fernando-pessoa-e-ofelia-queiroz-fernando-pessoa/13029623"

.pesquisar

 

.links

.Rádio miúdos

https://www.radiomiudos.pt/

.Música

.posts recentes

. Evolucionismo | casa das ...

. MILD - Manual de Instruçõ...

. Licenças creative commons...

. Seguranet: alguns recurso...

. Internet Segura

. Dia da Internet +Segura 2...

. Manual de instruções para...

.subscrever feeds

.Visitantes

.Professor bibliotecário: ode

.Fevereiro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.tags

. todas as tags