Domingo, 21 de Maio de 2017

Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, 21 de maio de 2017

 

Assim como a diversidade natural é vital para sustentar os ecossistemas, a diversidade cultural é a essência de sociedades vibrantes. A diversidade cultural fornece ideias e perspectivas novas que enriquecem a nossa vida de inúmeras formas, o que nos permite crescer e prosperar juntos.

Uma sala de aula culturalmente diversa é não apenas mais inclusiva, mas também estimula a aprendizagem e os resultados dos estudantes.

Um local de trabalho culturalmente diverso é não apenas mais inovador, mas também mais produtivo e economicamente rentável.

Hoje é uma oportunidade para todos nós celebrarmos os enormes benefícios da diversidade cultural, incluindo o rico patrimônio imaterial da humanidade, assim como de reafirmar o nosso compromisso para a construção de um mundo mais pacífico, fundamentado nos valores da compreensão mútua e do diálogo intercultural. [...]

Martin Luther King Jr. uma vez disse: “A injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em todos os lugares. Nós estamos presos em uma rede inescapável de relações mútuas, amarrados a um único tecido do destino”. Nesse espírito, eu acredito que precisamos de um novo humanismo para o século XXI, para renovar as aspirações fundamentais à justiça, à compreensão mútua e à dignidade, para guiar todas as mulheres e todos os homens.

Tomando como base os direitos humanos, a UNESCO acredita que as nossas diferenças e a nossa diversidade nos tornam mais fortes, e que o respeito à diversidade cultural é essencial para estimular o diálogo intercultural, o desenvolvimento sustentável e a paz. Enquanto trabalhamos juntos para tornar a Agenda 2030 uma realidade – e para combater as ameaças à nossa diversidade cultural –, sejamos guiados pelo espírito deste dia, com o conhecimento de que, ao abraçar a nossa diversidade cultural, poderemos costurar um “tecido do destino” mais brilhante para todos.

 

Fonte: http://www.unesco.org/new/pt/brasilia

publicado por essmo-becre às 19:17
link do post | comentar | favorito

.Citação do dia

.Catálogo On-Line

Bibliotecas do Agrupamento

.Tutorial - consulta do catálogo

Como consultar o catálogo

.Sugestões

No 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948-2018), Portugal deve adotar uma Agenda Nacional de Direitos Humanos para o novo século. «Os primeiros anos do século XXI mostram que os direitos humanos não são nada de garantido e definitivo. Por todo o lado assistimos a retrocessos. Vemo-lo, por exemplo, nos Estados Unidos e em França, onde muitos dos grandes e inegáveis progressos das últimas décadas estão agora em risco. Em numerosos países, os direitos humanos são há muito comprimidos ou sacrificados em nome de outros valores tomados por superiores; noutros casos, são abusivamente instrumentalizados por agentes não estatais, como as grandes empresas digitais. Com base na minha formação académica e na minha experiência profissional, quer como jornalista quer como diretora executiva da Amnistia Internacional em Portugal de 2012 a 2016, acompanhei de perto alguns destes temas e tive oportunidade de intervir em alguns casos que aqui relato. Neste livro, proponho uma reflexão séria e atual sobre algumas destas questões.» Fonte:"https://www.fnac.pt/"

.pesquisar

 

.links

.Rádio miúdos

https://www.radiomiudos.pt/

.Música

.posts recentes

. Gostava de ler um livro e...

. Quer viver mais anos? Lei...

. Acordo Fotográfico

. Declaração Universal dos ...

. 70 anos da Declaração Uni...

. 70 anos da Declaração Uni...

. O bem que faz ler um livr...

.subscrever feeds

.Visitantes

.Professor bibliotecário: ode

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags