Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Citação do dia

Hora do Planeta

hora-do-planeta_c.jpg

 

A Hora do Planeta tem lugar a 27 de março de 2021, entre as 20h30 21h30. Devido à Covid-19, esta será a 2.ª edição do evento em formato digital

O que é a Hora do Planeta?

A Hora do Planeta ou Earth Hour consiste em apagar as luzes no mundo inteiro à mesma hora, durante 60 minutos, num movimento contra as alterações climáticas. O objetivo é conscientizar as pessoas para a necessidade de adquirir hábitos que não prejudiquem o meio ambiente.

É uma iniciativa mundial da WWF - World Wide Fund For Nature – que se realizou pela primeira vez em 2007 na Austrália. Nesses ano, mais de 2 milhões de australianos e cerca de 2000 empresas apagaram as luzes.

Já no ano seguinte, 135 países tomaram parte no evento, que contou com a participação de mais de 50 milhões de pessoas.

O que torna a Hora do Planeta um momento marcante são nomeadamente os monumentos emblemáticos que são apagados em todo o mundo, tal como a Torre Eiffel e o Coliseu. Em Portugal, destaca-se o Mosteiro dos Jerónimos, o Cristo Rei, a Torre de Belém, o Palácio Nacional de Sintra e a Ponte 25 de Abril, por exemplo.

 

Além de desligar monumentos, outros eventos oficiais dão voz à preocupação da sociedade com o planeta Terra, tal como a organização de caminhadas e pedaladas.

 

Fonte:

https://www.calendarr.com/portugal/hora-do-planeta/

 

Dia Mundial do Teatro

Jaime-gralheiro_site

 

Dia Mundial do Teatro | 27 de Março

 


 Mensagem da SPA, da autoria do Dramaturgo Jaime Gralheiro para o Dia Mundial do Teatro 


TEATRO: UMA RELIGIÃO COM O HOMEM NO CENTRO
 
Teatro é a palavra que se faz gente, ou, de outra forma, o verbo que se faz carne.
 
No princípio era o Medo e o Medo tomou conta do Homem inerme perante a fúria incontrolada dos elementos naturais. E foi, então, que nasceu Deus.
 
Invocando os favores e a proteção desse Deus-dos-trovões-raios-e-coriscos, o Homem inventou palavras “santas” e gestos rituais que lhe pareceram mais adequados ao momento e do agrado desse tal deus das fúrias. Nessa altura, e sem que de tal se desse conta, o Homem começava já a dar os seus primeiros passos na invenção o Teatro que só veio a acontecer quando o espetáculo da palavra e do ritmo balético dos gestos, em vez de se dirigir aos deuses, começou a dirigir-se aos outros homens. 
 
Foi nesta primevo tempo que o Homem descobriu mais uma trincheira contra o tal Medo e, até, contra a prepotência dos próprios deuses.  
 
E foi desta sorte que, reunidos no mistério do faz de conta, os homens foram “ardendo” na fogueira das suas paixões, ao mesmo tempo que se sentiam mais próximos e solidários uns com os outros, enfrentando tudo e, até, os próprios deuses. 
 
A força do Teatro estava exatamente aí, na capacidade de, através do jogo cénico, transformar as palavras em gente viva e as coisas noutras coisas, tudo ali feito à vista do espetador, de tal forma que, muitas vezes, as coisas e pessoa inventadas tinham mais força que as coisas e pessoas invocadas.  
 
É esta capacidade de transformar a realidade rasteira do dia-a-dia numa outra realidade superior mais verdadeira e universal que aproxima o Teatro do poema e faz do Teatro a vida em carne viva, recreada sobre as tábuas de um palco. 
 
Enfrentando o Medo, o Teatro passou a ser o lugar e o tempo de combate onde a inteligência, a coragem e a paixão se superiorizavam a todos as violências opressoras, vindas elas donde viessem! 
 
A partir daqui, o Teatro passou a ser uma arma de combate-defesa nas mão dos homens, tornando-se um inimigo do Poder anti-humano que só o suportava se ele  se pusesse ao seu serviço.
 
Mas o Teatro não aceitou ser escravo e foi proibido, passando à clandestinidade das catacumbas, onde renasceu escondido sob a própria capa do opressor. 
 
E foi uma demoníaca gargalhada e um descarado manguito contra a falsa fé nesse deus opressor que demonstraram estar o Teatro sempre vivo e escondido na alma do Homem livre. E eis o  “milagre” e o mistério do seu renascimento nas curvas e contra curvas do tempo que se enrola!
 
Mas foi essa grande gargalhada e esse atrevido manguito que empurraram o Teatro para as fogueiras da “santa” Inquisição, onde voltou a arder, agora, na catarse da sua própria perdição… 
 
Nesta linha, o Teatro acabou por assentar praça contra o Homem e, despudoradamente, apareceu desfilando nas grandes paradas hitlerianas e fascistas. 
 
Só que, há sempre alguém que resiste/ há sempre alguém que diz não!  Esse alguém foi Bertold Brecht e todos aqueles que, arrancando o Teatro dos desfiles nazis e fascistas, o refizeram como local e tempo onde a beleza da inteligência e da liberdade nos torna mais atentos e exigentes na construção de um mundo mais livre e justo à medida do Homem livre. 
 
O Teatro procura estar, hoje, de novo, ao lado do Povo contra todos aqueles que dele querem fazer um capacho.
 
Por isso, contra o novo Medo, viva o Teatro livre!
 
Jaime Gralheiro
 
Fonte:
https://www.spautores.pt/comunicacao/noticias/dia-mundial-do-teatro-27-de-marco
 

Hora do Planeta

 

 

A Hora do Planeta é um movimento global que une milhões de pessoas em todo o mundo para mostrarem o seu compromisso com o planeta. Esta iniciativa da WWF nasceu 2007, em Sidney, na Austrália, quando 2,2 milhões de pessoas e mais de 2 mil empresas apagaram as luzes por uma hora numa tomada de posição contra as alterações climáticas.

Ano após ano, a Hora do Planeta tem vindo a crescer para se tornar num movimento de sustentabilidade global com mais de 3,5 mil milhões de pessoas em 190 países e territórios a mostrarem o seu apoio a esta causa ao desligarem simbolicamente as suas luzes.

 

Ano após ano, no último sábado de março, casas, ruas, edifícios e monumentos apagam as suas luzes na Hora do Planeta, criando um impacto impossível de ignorar.

Este ano, queremos criar esse impacto no mundo digital através do primeiro “holofote virtual” da Hora do Planeta.

Como o vamos fazer? É muito simples, mas precisamos da tua ajuda!

 

👉  No dia 27 de março, às 20h30, vamos publicar nas redes sociais da ANP|WWF (FacebookInstagram e Twitter) um vídeo exclusivo da Hora do Planeta 2021. O teu papel? Partilhá-lo ao máximo, taggando a ANP|WWF  e usando as hashtags #EarthHour #HoradoPlaneta!

📲 Partilha nos teus stories, no teu feed, retweeta, envia-o por mensagem a amigos e familiares, identifica-os nos comentários dos nossos posts – a escolha é tua!

 

Mesmo com as circunstâncias atuais, temos uma oportunidade incrível para criar impacto – online e através das nossas casas.

Ao invadirmos o mundo digital com este conteúdo único, vamos fazer com que a Hora do Planeta não passe despercebida e chegue mesmo àqueles que não estão tão alerta para a crise climática.

Com a tua ajuda, podemos fazer a mensagem chegar ao máximo de pessoas, para que, todos juntos, levantemos a voz pela natureza.

 

Vamos apagar as luzes e pôr um foco no planeta, por um futuro com mais água para todos.

#ligateaoplaneta #CadaGotaConta

TUDO A POSTOS PARA A HORA DO PLANETA?

 
 

Dia 27 de março, das 20:30 às 21:30, apaga a luz e liga-te ao planeta.

Juntos, vamos criar o maior holofote virtual de sempre!

 

 

Fonte:

https://horadoplaneta.pt/uma-acao-global/

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pág. 1/6