Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Dia Mundial das Doenças Raras

dia-das-doencas-raras.jpg

 

O Dia Mundial das Doenças Raras celebra-se no último dia de fevereiro.

É assim em mais de 80 países do mundo. Esta data visa alertar a população para este tipo de doenças e para as dificuldades que os doentes que padecem de doenças raras enfrentam diariamente.

As doenças raras são doenças crónicas, graves e degenerativas que colocam em risco a vida dos doentes. Na União Europeia, consideram-se doenças raras as que têm uma prevalência inferior a cinco em 10.000 pessoas.

Existem entre 6.000 a 8.000 doenças raras, a maioria de origem genética. Estima-se que as doenças raras afetam perto de 40 milhões de pessoas na Europa, especialmente crianças.

Todas as semanas são descobertas novas doenças raras. A deteção de doenças raras é um processo demorado e minucioso, pois as manifestações e sintomas das doenças podem ser lentos e demorar anos.

Doenças Raras em Portugal

Em média, 5 a 6% da população portuguesa poderá vir a sofrer de uma doença rara.

As doenças raras mais frequentes são as genéticas e as reumatológicas.

Alguns tipos de cancro são considerados doenças raras devido ao baixo número de incidências registadas.

Ativismo - Amnistia Internacional - Portugal

Acabámos de receber o seguinte mail da AI:
 
Chegou ao fim a edição de 2019/20 da Maratona de Cartas. Muito obrigada pela vossa participação em massa naquele que é o maior evento de ativismo do mundo!
 
Gostaríamos de partilhar 5 informações importantes:
 
 
1) Naquela que foi a primeira edição inteiramente digital por motivos de sustentabilidade, a secção portuguesa contabilizou 113 572 assinaturas. Assinaturas que fazem parte de um total de quase 6 milhões em todo o mundo
Todas serão entregues às respetivas autoridades e poderão acompanhar esses momentos através do nosso site e/ou redes sociais.
 
2) Recebemos 1453 cartas de solidariedade que serão enviadas para cada um dos casos ao longo da próxima semana.
 
3) Muito obrigada a todas as instituições de ensino que participaram na nossa primeira edição do concurso digital, foram centenas de participantes! 
Assim, é com muito prazer que anunciamos que a Amnistia Internacional estará presente na Escola Secundária de Santa Maria da Feira para organizar um evento exclusivo, muito em breve!
 
4) Será enviado um certificado de participação, para todos/as os/as participantes.
 
5) É muito importante obtermos feedback para melhorarmos e aumentarmos o nosso impacto em direitos humanos através da Maratona de Cartas. Assim, solicitamos o preenchimento de um breve formulário, anónimo, que não demorará mais de 7 minutos. 
 
Todas as respostas deverão ser submetidas até às 23h30 do dia 9 de março. 
 
 
 
E por fim, terminamos com uma boa notícia!

No passado dia 5 de fevereiro, tivemos conhecimento de que um Tribunal de Recursos de Teerão reduziu as penas de prisão de Yasaman Aryani e da sua mãe Monireh Arabshahi. Atualmente, em vez dos 16 anos de prisão a que estavam inicialmente condenadas, ambas deverão agora cumprir 5 anos e 6 meses. Continuaremos a trabalhar até que ambas estejam em liberdade!

 
Muito obrigada pela vossa dedicação, empenho e por nos acompanharem mesmo nos momentos mais desafiantes. Juntos chegamos mais longe e com cada vez maior impacto.
Resistimos juntos. Vencemos juntos.
 
 
Até breve!
Cumprimentos,
AI Portugal

Ruy Belo

7S - Ruy Belo.jpg

 

Rui de Moura Belo (Ruy Belo), conta-se entre os maiores poetas portugueses contemporâneos. 

Nasceu em São João da Ribeira, Rio Maior, a 27 de Fevereiro de 1933 e faleceu em Queluz, Sintra, no dia 8 de agosto de 1978. 

Frequentou o liceu de Santarém, licenciou-se em Filologia Românica e em Direito pela Universidade de Lisboa e obteve o grau de doutor em Direito Canónico pela Universidade S. Tomás de Aquino (Angelicum), com uma tese intitulada Ficção Literária e Censura Eclesiástica. 

Exerceu as funções de diretor adjunto no então ministério da Educação Nacional e leitor de português na Universidade de Madrid e entre as atividades de cariz literário e editorial, para além de poeta, foi também ensaísta, critico literário, diretor da Editorial Aster e chefe de redação da revista Rumo. 

Da sua obra fazem parte os livros de poesia Aquele Grande Rio Eufrates (1961) e O Problema da Habitação (1962), as coletâneas de ensaios Poesia Nova (1961) e Na Senda da Poesia (1969) e livros cujas temáticas se prendem com o religioso e o metafísico, caso de Boca Bilingue (1966), Homem de Palavras(s) (1969), País Possível (1973, antologia), Transporte no Tempo (1973), A Margem da Alegria (1974), Toda a Terra (1976) e Despeço-me da Terra da Alegria (1977).

Em 1991 foi condecorado, a título póstumo, com o grau de Grande Oficial da Ordem Militar de Santiago da Espada. 

 

Fontes:

http://www.turismoriomaior.pt/conte.php?a=760

https://lyricstranslate.com/en/ruy-belo-lyrics.html

Cesário Verde

cesarioverde.jpg

[A 25 de fevereiro de ] 1855 nascia em Lisboa o poeta Cesário Verde. Vítima de tuberculose aos 31 anos de idade, publicou poemas em jornais. A sua obra foi reunida pelo amigo Silva Pinto e publicada postumamente em 1887, com o título O Livro de Cesário Verde.

Os seus poemas exibem uma poesia-pintura que aproximou as duas artes:

 

 

 

Não poder pintar
Com versos magistrais, salubres e/ sinceros,
A esguia difusão dos vossos reverberos,
E a vossa palidez romântica e lunar!



 

Fontes:

http://cvc.instituto-camoes.pt/conhecer/efemerides.html#.Xk--5E_7Tcc

Pág. 1/4