Quinta-feira, 12 de Julho de 2018

O que é a neurociência?

O que é a neurociência? | francisco mora

11.07.18

 

 

Francisco Mora · Doutor em Neurociência e Medicina

 

Doutor em Neurociências pela Universidade de Oxford e Doutor em Medicina pela Universidade de Granada, Francisco Mora é Professor de Fisiologia na Universidade Complutense de Madrid. Referência internacional em neuroeducação e autor de inúmeras publicações e livros como "Neuroeducação: você só pode aprender o que você ama", o professor Mora enfatiza a importância das emoções na aprendizagem. 

Tudo o que somos, pensamos, sentimos e aprendemos é o resultado do nosso cérebro em constante interação com nosso corpo e com o meio ambiente, explica ele. 

Mora, dá-nos as ferramentas e chaves básicas que a neurociência oferece para melhorar a aprendizagem e a memória, sempre do lado humano, afirmando que " Tentar ensinar sem saber como o cérebro funciona é como desenhar uma luva sem nunca ter visto uma mão. " 

Defensor da necessidade de uma sólida educação ética e valores nas crianças, Francisco Mora argumenta que todas as mudanças importantes que ocorrem nas nossas sociedades ocidentais vão "reconhecer e aceitar que o ser humano é o que a educação faz dele", destacando especialmente o papel central dos professores que ele considera "a jóia da coroa de um país" e os arquitetos fundamentais desta tarefa. 

 "São os professores que, além do conhecimento, transmitem os seus valores aos homens e mulheres do futuro", enfatiza.  

 

Referência: ¿Qué es la neuroeducación?. (2018). BBVA Aprendemos Juntos. Retrieved 11 July 2018, fromhttps://aprendemosjuntos.elpais.com/especial/que-es-la-neuroeducacion-francisco-mora/

 

Fonte: http://blogue.rbe.mec.pt/

 

publicado por essmo-becre às 11:15
link do post | comentar | favorito (1)

.Citação do dia

.Catálogo On-Line

Bibliotecas do Agrupamento

.Tutorial - consulta do catálogo

Como consultar o catálogo

.Sugestões

No 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948-2018), Portugal deve adotar uma Agenda Nacional de Direitos Humanos para o novo século. «Os primeiros anos do século XXI mostram que os direitos humanos não são nada de garantido e definitivo. Por todo o lado assistimos a retrocessos. Vemo-lo, por exemplo, nos Estados Unidos e em França, onde muitos dos grandes e inegáveis progressos das últimas décadas estão agora em risco. Em numerosos países, os direitos humanos são há muito comprimidos ou sacrificados em nome de outros valores tomados por superiores; noutros casos, são abusivamente instrumentalizados por agentes não estatais, como as grandes empresas digitais. Com base na minha formação académica e na minha experiência profissional, quer como jornalista quer como diretora executiva da Amnistia Internacional em Portugal de 2012 a 2016, acompanhei de perto alguns destes temas e tive oportunidade de intervir em alguns casos que aqui relato. Neste livro, proponho uma reflexão séria e atual sobre algumas destas questões.» Fonte:"https://www.fnac.pt/"

.pesquisar

 

.links

.Rádio miúdos

https://www.radiomiudos.pt/

.Música

.posts recentes

. Gostava de ler um livro e...

. Quer viver mais anos? Lei...

. Acordo Fotográfico

. Declaração Universal dos ...

. 70 anos da Declaração Uni...

. 70 anos da Declaração Uni...

. O bem que faz ler um livr...

.subscrever feeds

.Visitantes

.Professor bibliotecário: ode

.Dezembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags