Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Citação do dia

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

 

Também o Governo português fez questão de não esquecer a data e evocou os homens e mulheres que impediram o extermínio de pessoas perseguidas pelo regime nazi e reiterou o "firme compromisso" de Portugal em "manter viva a memória do Holocausto".

 

O Governo evocou este sábado os homens e mulheres que impediram o extermínio de pessoas perseguidas pelo regime nazi e reiterou o “firme compromisso” de Portugal “manter viva a memória do Holocausto”, para que não volte a repetir-se.

No Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, o governo português afirma, em comunicado, que se junta “a todos os que se recusam esquecer e que prestam homenagem às vítimas do extermínio e da desumanidade nazi”. São também evocados os “homens e Mulheres que, pela sua coragem e altruísmo, resgataram da morte milhares de judeus e outras vítimas do ódio nazi”.

O Governo aponta como exemplo os diplomatas portugueses Aristides de Sousa MendesAlberto Teixeira Branquinho e Carlos Sampaio Garrido, bem com o padre Joaquim Carreira.

Setenta e três anos após a libertação do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, o Governo defende que é preciso continuar a investir na educação, no respeito pelos direitos humanos para “manter viva a memória daqueles que padeceram durante o Holocausto e para garantir que nunca mais venha acontecer”.

É igualmente necessário continuar a investir “na defesa intransigente da dignidade de todas as pessoas e na luta contra o ódio, a intolerância, a xenofobia, o racismo, o antissemitismo e o preconceito”, defende, considerando que “este é um dever de todos”.

“Enquanto membro observador da Aliança Internacional para a Memória do Holocausto, Portugal reitera o firme compromisso de manter viva a memória do Holocausto contribuindo para que não se repita nunca mais”, sublinha no comunicado.

A Provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, também assinalou a data, lembrando que esta visa “homenagear os milhões de pessoas mortas e o seu sofrimento e preservar a memória deste acontecimento na história mundial”.

Num comunicado publicado no site da instituição, a Provedora de Justiça recorda “as vítimas, a violação dos direitos mais básicos, o racismo, a perseguição, a aniquilação de comunidades nacionais, étnicas e religiosas e a desumanização do outro” durante o Holocausto.

Fonte: http://observador.pt/

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Assinalam-se hoje 73 anos da libertação do campo de concentração de Auschwitz, local onde morreram mais de 1,3 milhões de pessoas.

Neste dia em que se recordam as vítimas do Holocausto, muitos são os meios de comunicação social (e não só!) que relatam episódios do extermínio nazi. 

Qual a intenção? É preciso não esquecer!

As Nações Unidas escolheram este dia por se tratar do aniversário da libertação do Campo de Concentração de Auschwitz-Birkenau pelas tropas soviéticas em 1945. 

É um dia em que as Nações Unidas lembram os seis milhões de homens, mulheres e crianças judeus que morreram vítimas do regime nazi. António Guterres lembra que o antissemitismo persiste e que existe um aumento de outras formas de preconceito: "Quando os valores da humanidade são abandonados, onde quer que sejam, todos nós ficamos sob risco." -

Veja a mensagem do Secretário-geral na íntegra aqui 👇

 

 

Fonte: Centro Regional de Informação das Nações Unidas

 

Mas nem só as Nações Unidas lembram este dia. Muitas são as estruturas, organizações e instituições que também o fazem, bem como Governos de muitos países.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pág. 1/3