Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Citação do dia

Concurso Nacional de Leitura

captura_de_ecra_2017_04_20,_a_s_12.40.09.png

 

 

O Concurso Nacional de Leitura é uma iniciativa da equipa do Plano Nacional de Leitura 2027 em parceria com a Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, a Rede das Bibliotecas Escolares, o Camões IP, a Direção de Serviços de Ensino e Escolas Portuguesas no Estrangeiro e a RTP.

Na 12.ª Edição, este concurso vai cumprir-se entre o dia 20 de novembro de 2017, data oficial de abertura, e o dia 10 de junho de 2018, data de celebração da língua portuguesa.

Este ano, poderão concorrer alunos dos 1.º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico, bem como do Ensino Secundário.

As escolas podem inscrever-se até 5 de dezembro de 2017.

O concurso será estruturado em duas fases:

Fase Regional - engloba as provas nas escolas, municípios e territórios das comunidades intermunicipais / áreas metropolitanas / associações de municípios fazendo intervir, de forma decisiva, as Bibliotecas Escolares e as Bibliotecas Públicas;

Fase Nacional – conta com a participação de todos os parceiros e é constituída por uma prova dirigida a todos os vencedores da Fase Regional + vencedores das Escolas portuguesas e com ensino de português no estrangeiro.

Serão apurados cinco finalistas em cada nível de ensino.

O objetivo central do Concurso Nacional de Leitura é estimular hábitos de leitura e pôr à prova competências de expressão escrita e oral.

Consulte o regulamento em

http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/data/cnleitura_12ed_regulamento_e_calendario.pdf

 

Vamos ler?

 

Dia Mundial da Filosofia

dia da filosofia

Publicado em: novembro 15, 2017

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO

por ocasião do Dia Mundial da Filosofia

16 de novembro de 2017

A filosofia é uma disciplina apaixonante, é também uma prática quotidiana que pode transformar as sociedades. Ao permitir a descoberta da diversidade das correntes intelectuais no mundo, a filosofia estimula o diálogo intercultural. Ao despertar mentes para o exercício do pensamento e para o confronto racional de opiniões, a filosofia contribui para a construção de uma sociedade mais tolerante e respeitadora.

Para a UNESCO, é também uma forma de promover o potencial criativo da humanidade e de fazer emergir novas ideias. A filosofia cria condições intelectuais de mudança, de desenvolvimento sustentável e de paz.

A Conferência Mundiais das Humanidades, que teve lugar na Bélgica em agosto de 2017, delineou linhas orientadoras para o ensino das Humanidades. A UNESCO partilha esta visão, destacando novas práticas que, nos últimos anos, revolucionaram esta disciplina, junto dos mais jovens, incluindo fora das escolas, nos novos media, e também a forma como os filósofos atualmente utilizam o desenho, a música e a cultura visual.

Pascal escreveu “O Homem é apenas um junco (…), mas um junco que pensa. (…) Toda a nossa dignidade consiste, portanto, no pensamento”. Ainda hoje, a filosofia é um baluarte contra a limitação de opiniões, uma forma de cultivar a distância crítica face saturação da informação e à retórica simplista que procura colocar as culturas umas contra as outras. Existe uma necessidade urgente de filosofia. Esta não nos dá respostas, mas permite-nos fazer as perguntas certas. Convida-nos, nas palavras do poeta Rabindranath Tagore, a “emergir dos limites da nossa sensibilidade e visão mental para uma maior liberdade”. A oportunidade deve ser aproveitada, apelo assim a todos os Estados-membros para que alimentem esta mensagem, que está no cerne do mandato da UNESCO.

Audrey Azoulay

 

 

Fonte: https://www.unescoportugal.mne.pt/pt/noticias/dia-mundial-da-filosofia-2

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.