Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Semana da Leitura 2016

Sob o tema ELOS de LEITURA, as bibliotecas escolares do agrupamento desenvolveram diversas atividades. A nossa não foi exceção.

 

Assim, na semana de 14 a 18 de março, cumpriu-se a tradição: assinalámos a Semana da Leitura. 

 

Aqui ficam alguns testemunhos do que se fez.

cartaz SL-2016.png

Autoria: Inês Fael Correia. Coordenação: José Vitorino

 

Leituras gravadas

 

ficheiro audio.PNG

 

Leituras partilhadas

 

 

 

Dia Mundial da Poesia 2016

A homenagem de José Luís Peixoto a Régio no Dia Mundial da Poesia

ng6271325.jpg

José Luís Peixoto|JOÃO MANUEL RIBEIRO/GLOBAL IMAGENS

O escritor escreve no seu manifesto A palavra feita de palavras. Poesia em Régio, que será lido esta segunda-feira em Portalegre, que "a poesia é uma torre sobre a vida e sobre a morte"

O poeta José Régio (1901-1960) é homenageado hoje, Dia Mundial da Poesia, em Portalegre, numa iniciativa da Fundação Inatel, em que a praça da República da cidade alto-alentejana e o Centro de Artes e Espetáculos são os cenários para um "espetáculo de homenagem e celebração da vida e obra de Régio, no qual participam vários grupos culturais através da poesia, teatro, música, dança e cinema, numa viagem com encenação a cargo de Hugo Sovelas", segundo a organização.

Na mensagem de José Luís Peixoto, um manifesto intitulado A palavra feita de palavras. Poesia em Régio - que será lida as 19.00, no grande auditório do Centro de Artes e Espetáculo, pelo ator Rui Mendes - é afirmado que "precisamos muito de poesia". "A nossa grande sorte é que a poesia está em todos os lugares onde estamos, como uma sombra do que vemos, pensamos, dizemos, somos".

"A poesia está no que fazemos bem e no que fazemos mal", declara. "O poema é respirar, cada vez que inspiramos e expiramos, ar limpo a limpar-nos o sangue. O poema é fechar os olhos, existir num lugar sem luz e sem corpo. O poema é sorrir, reflexo que não decidimos e que chega aos outros, entre nós e os outros, milagre", lê-se na mensagem de Peixoto.

"Como o mundo inteiro, como todos os momentos, como a própria vida, poesia é ordem e loucura. É ordem quando aquilo que nos faz mais falta é disciplina rigorosa, vírgulas que não poderiam pertencer a nenhum outro espaço, quebras de verso que deixam as batidas do coração na expectativa de um segundo, e é loucura quando esquecemos o essencial, quando precisamos de ser lembrados".

"Poesia é uma palavra feita palavras e, como tal, é um paradoxo feito de paradoxos. No poema, como numa torre, todas as palavras são paradoxos em conflito consigo próprios e uns com os outros. Se tirarmos um tijolo, toda a torre perderá força e, tarde ou cedo, cairá. É a tensão que os tijolos mantêm entre si que permite o equilíbrio da torre. A poesia é uma torre sobre a vida e sobre a morte", escreve José Luís Peixoto, autor alto-alentejano, natural da freguesia de Galveias, a cerca de 70 quilómetros de Portalegre.

"No entanto, um monte de tijolos não é uma torre, um monte de palavras não é um poema. Chamem-se os engenheiros civis, por favor", escreve Peixoto que atesta em seguida que "aquilo que é nomeado torna-se concreto, como uma pedra na palma da mão, como uma pena entre o indicador e o polegar".

"Então, podemos encontrar o lugar certo para esses objetos. Não faltam maneiras de os arquivar: peso, tamanho, sabor. Se essa ordem fizer sentido transportará verdade. A verdade é um espelho. De certo modo, um poeta é um engenheiro civil que constrói espelhos. De certo modo, o poema é um espelho. Mas, de certo modo, o poema é qualquer coisa", prossegue o escritor, para quem o desafio é procurar a poesia, "aceitá-la, aprender a sentir-lhe o gosto. Dessa maneira, a vida ganha um brilho que, afinal, sempre esteve lá", remata.

http://www.dn.pt/

 

 

Dia Mundial da Poesia 2016

O Dia Mundial da Poesia, celebra-se a 21 de março, tendo sido criado na 30ª Conferência Geral da UNESCO a 16 de novembro de 1999.

O Dia Mundial da Poesia celebra a diversidade do diálogo, a livre criação de ideias através das palavras, da criatividade e da inovação. A data visa fazer uma reflexão sobre o poder da linguagem e do desenvolvimento das habilidades criativas de cada pessoa. Neste dia realizam-se várias atividades pelo país, sobretudo nas escolas, bibliotecas e espaços culturais.

A poesia contribui para a diversidade criativa, usando as palavras e os nossos modos de perceção e de compreensão do mundo.

Imagem1.png

 

Poesia em Portugal

A história portuguesa apresenta muitos poetas cuja obra literária é mundialmente conhecida. Luís de Camões, Fernando Pessoa, António Nobre, Florbela Espanca, José Régio, Natália Correia, Eugénio de Andrade, Cesário Verde, Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner Andersen, são alguns dos poetas portugueses mais conhecidos.

 

 

Hoje, dia 21 de março, assinala-se igualmente o Dia Internacional das Florestas!

"Florestas e água" é o tema para 2016!

Fontes:

http://umcantinhodomeueu.blogspot.pt/

http://users.isr.ist.utl.pt/~cfb/VdS/

http://www.calendarr.com/

http://www.icnf.pt/portal

 

Dia Internacional das Florestas

A 21 de março assinala-se também o Dia Internacional das Florestas.

 

 

Todos os anos, no Dia Internacional das Florestas, celebramos [Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, ICNF] as formas como a floresta e as árvores nos sustentam e protegem. Este ano queremos chamar a atenção para o papel fundamental das florestas no abastecimento do nosso planeta com água doce, que é essencial à vida.

Consulte aqui o site das Nações Unidas dedicado a esta efeméride.

Dia Mundial da Poesia 2016

 

 

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Poesia, 21 de março de 2016

Shakespeare, que morreu há 400 anos, escreveu em “Sonho de uma noite de verão” que: “O olho do poeta, no frenesi, o faz olhar do céu à terra, da terra ao céu. E como a imaginação corporifica as formas de coisas desconhecidas, a pena do poeta as transforma em formas e dá ao nada uma habitação e um nome ".

Ao prestar homenagem aos homens e mulheres cujo único instrumento é a liberdade de expressão, que imaginam e agem, a UNESCO reconhece na poesia o seu valor como um símbolo da criatividade do espírito humano. Ao dar forma e palavras ao que não as tem – como a beleza insondável que nos rodeia, o imenso sofrimento e miséria do mundo – a poesia contribui para a expansão da nossa humanidade comum, ajudando a aumentar a sua força, sua solidariedade e sua autoconsciência .

As vozes que carregam a poesia ajudam a promover a diversidade linguística e a liberdade de expressão. Elas participam do esforço mundial para a educação artística e a disseminação da cultura. A primeira palavra de um poema, por vezes, é suficiente para recuperar a confiança em face da adversidade, para encontrar o caminho da esperança em face da barbárie. Na era da automação e do imediatismo da vida moderna, a poesia também abre um espaço para a liberdade e a aventura inerentes à dignidade humana. Do canto “Arirang” da Coreia ao “Pirekua” do México, os cânticos “Hudhud” do povo ifugao, o “Alardah” da Arábia Saudita, o “Koroghlu” do Turcomenistão e o “Aitysh” do Quirguistão, cada cultura tem sua arte poética que usa para transmitir conhecimentos, valores socioculturais e memória coletiva, aspectos que fortalecem o respeito mútuo, a coesão social e a busca pela paz.

Hoje, eu aplaudo os profissionais, atores, contadores de histórias e todas aquelas vozes anônimas comprometidas com e por meio da poesia, realizando leituras nas sombras ou nos holofotes, em jardins ou nas ruas. Clamo a todos os Estados-membros para que apoiem este esforço poético, que tem o poder de nos unir, independentemente da origem ou da crença, pelo que é a própria essência da humanidade.

 http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/

 

 

Pág. 1/2