Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

50 coisas pessoais que o Facebook sabe sobre si neste momento

Ou como dizemos a centenas de supostos "amigos" (com muitos dos quais não trocámos mais do que duas palavras) muito mais do que diríamos a um vizinho ou colega na vida real


Uma lista de 50 coisas que o Facebook provavelmente sabe sobre si... porque você lhe contou: 

 

1 - O seu nome

 

2 - A sua data de nascimento

 

3 - A sua ideologia religiosa

 

4- A sua ideologia política

 

5 - As línguas que fala

 

6 - O seu número de telemóvel

 

7 - As suas citações preferidas

 

8 - Os contactos da sua conta pessoal de e-mail

 

9 - Fotos pessoais

 

10 - As escolas em que andou

 

11 - Em que ano concluiu/se concluiu os estudos

 

12 - Onde nasceu

 

13 - Onde trabalha agora

 

14 - Onde trabalhou antes 

 

15 - Quando assumiu a sua relação

 

16 - Quando se casou 

 

17 - Quando se divorciou

 

18 - Quando foi "complicado" 

 

19 - Onde está neste momento

 

20 - A sua morada

 

21 - Os seus familiares

 

22 - Os filmes que viu e gostaria de ver

 

23 - Os livros que leu e gostaria de ler

 

24 - Sítios que visitou

 

25 - As suas figuras públicas preferidas

 

26 - Os seus atores preferidos

 

27 - As suas bandas/cantores preferidos

 

28 - Os seus programas de televisão preferidos

 

29 - As suas fontes de notícias preferidas

 

30 - A sua comida preferida

 

31 - Os seus sites preferidos

 

32 - O seu género de roupa preferido

 

33 - O seu clube 

 

34 - O seu desporto preferido 

 

35 - Quantos quilómetros correu /passos deu

 

36 - Quantas calorias queimou 

 

37 - O que está a fazer dentro das aplicações em que se registou usando o Facebook 

 

38 - Que mensagens enviou (via  WhatsApp/Messenger)

 

39 - As pessoas que procurou

 

40 - Os amigos mais próximos

 

41 - Os eventos a que compareceu

 

42 - As páginas de que gosta

 

43 - As páginas que criou

 

44 - Os grupos a que pertence

 

45 - Os grupos que criou

 

46 - Os anúncios em que clicou 

 

47 - As "pessoas que pode conhecer" 

 

48 - Os amigos com quem aparece mais vezes em fotografias

 

49 - Os amigos com quem partilha mais opiniões 

 

50 - O que está a fazer/pensar/sentir neste momento (através das atualizações de estado, claro) 

 

Estas frases dizem-lhe alguma coisa????

 

 

 

"Life is not about success or winning. It's about excellence, about doing our best no matter what the activity".

 

"Na vida corre pelos teus sonhos, nas provas corre para a meta."

 

 

http://amantesdacorrida.blogspot.pt/2014/05/emforca-portugal-correr-com-esclerose.html

 

 

“A matemática não é fazer contas. É pensar bem”

CARLOS FIOLHAIS

 

http://observador.pt/matematica-nao-e-fazer-contas-e-pensar-bem/

 

 

 

Dia do Autor Português (por Luísa Ducla Soares )

 

Terá alguma importância para a criança do jardim de infância o contacto com textos de autores portugueses quando há tantos autores estrangeiros, de renome internacional, que se têm dedicado a esta faixa etária?

Parece-me que é imprescindível pois só eles transmitem o fascínio pela nossa língua que nos deve cativar desde os primeiros anos, brincando com as palavras que usamos no dia a dia, fazendo-nos descobrir a sua versatilidade, desenvolvendo, através de situações ligadas à realidade local, o gosto pela identificação, pela descoberta.

O dia do autor português, para os mais pequenos, deve também abranger os autores anónimos que, ao longo dos séculos, criaram um tesouro: o património da literatura oral. São eles os responsáveis pelas lengalengas que tanto desenvolvem ludicamente a memória, pelos travalínguas que, em jeito de desafio, melhoram a dicção, pelas adivinhas que fazem pensar e são também um fator de desenvolvimento.

Eu aprendi a amar a língua divertindo-me com o meu pai, que sabia de cor muitos jogos e rimas infantis, os quais nunca mais esqueci, que fazem hoje parte de mim, e sinto-me na obrigação de os ir passando às novas gerações.

Diariamente verifico nas escolas como os meninos do jardim de infância aderem com redobrado entusiasmo aos textos elaborados em português.

Quando hoje os autores se deslocam a estabelecimentos de ensino, privilegiam cada vez mais os encontros com os mais novos e encontram neles extraordinárias capacidades de fruição de literatura infantil, uma imaginação muito fértil e espontânea e até um gosto pela criação autónoma. Às vezes ao entrarem para o 1.º ciclo, começam a ficar formatados de acordo com programas que lhes cortam certa autonomia de expressão.

Um dia o meu neto de 3 anos disse-me:
   - Avó, tu és indecente.
   - Porquê?
   - Porque só escreves para os mais velhos. E nós queremos livros para nós.

Dei-lhe toda a razão e desde então tenho-me deliciado a escrever para quem não sabe ler mas tem uma inaudita capacidade de captar, de compreender, de questionar, de interagir.

Sugiro a todas as educadoras que desvendem aos seus alunos todas as potencialidades da literatura de autor e sem autor escrita na nossa língua, porque ela é, como dizia Pessoa, a nossa verdadeira Pátria.

 

 

 

 

 

 

 

 

Luísa Ducla Soares – Nascida em Lisboa e licenciada em Filologia Germânica, dedica-se especialmente à literatura infantojuvenil como autora, estudiosa, divulgadora. Tendo sido jornalista, adjunta do Ministério da Educação e trabalhando 30 anos na Biblioteca Nacional, tem realizado numerosas sessões de incentivo à leitura e conferências em escolas, bibliotecas, universidades. 
Autora de cerca de 130 livros, recusou, por motivos políticos, o Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho e foi por duas vezes galardoada pela Fundação Calouste Gulbenkian, uma delas pelo conjunto da sua obra.

 

 

 

 

http://www.portoeditora.pt/espacoprofessor/dia-autor-portugues

Pág. 1/3