Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

  

Holocausto: A importância de "não esquecer"

                              

 

 

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, visita o campo de concentração nazista em Auschwitz-Birkenau, na Polónia, onde milhões de judeus e membros de outras minorias foram mortos durante a Segunda Guerra Mundial.

Foto: ONU/Evan Schneider

 

O secretário-geral da ONU afirma que "o mundo não deve esquecer, negar ou minimizar Holocausto. Devemos manter-nos sempre em alerta e temos de fazer mais, muito mais, para promover a igualdade e as liberdades fundamentais.”

 

The Path to Nazi Genocide

 

 

O Museu do Holocausto Norte-americano, apresenta quer in loco quer online, um conjunto de informação detalhada sobre este período trágico da história da humanidade.

 

De entre muitas, selecionámos a exposição online intitulada "Alguns eram vizinhos". Veja-a aqui.

 

 

Semana Pela PAZ: À Descoberta de Aristides de Sousa Mendes

 

 

As bibliotecas do Agrupamento Nuno de Santa Maria, em articulação com outras pessoas e entidades do agrupamento, decidiram celebrar a PAZ na última semana deste mês de janeiro.

 

 

Janeiro é um mês em que há vários dias institucionalmente dedicados à PAZ. Logo à partida, o dia 1 de janeiro que, desde 1968, e sob o impulso do Papa Paulo VI, é tido como o Dia Mundial da Paz, sendo celebrado em praticamente todo o mundo, independentemente do credo ou religião. A 27, assinala-se o Dia em Memória das Vítimas do Holocausto, dia criado pela ONU para alertar para os perigos da discriminação racial, lembrando que o Holocausto foi o grande expoente da discriminação e intolerância, e de quão poderoso e mortal o incitamento ao ódio racial pode ser. Finalmente a 30, o Dia da Não Violência Escolar e da Paz, instituído em 1964 por Llorenzo Vidal, professor, poeta e pacifista espanhol, cujo objetivo é alertar as sociedades para a necessidade de promover a não‐violência e de chamar a atenção para problemas que afetam a sociedade atual como sejam o bullying, ciberbulling e discriminação de vária ordem. 

 

Com esta atividade, as bibliotecas escolares pretendem, sobretudo, dar relevo às personalidade que muito fizeram em prol da PAZ.

 

É particularmente salientado Aristides de Sousa Mendes, o Cônsul Português que, em Bordéus, em 1940, durante a 2ª Guerra Mundial, ajudou cerca de 30 000 pessoas a afastarem-se das garras do nazismo. De facto, nenhum diplomata português estava autorizado, na altura, a passar vistos de entrada, em Portugal, a judeus, apátridas e outros “indesejados”. Porém, era aos judeus que se pretendia, sobretudo, impedir o acesso a esses vistos.

 

Aristides foi contra as ordens de Salazar e cita-se esta frase dita por ele: "Tenho de salvar estas pessoas, quantas eu puder. Se estou desobedecendo a ordens, prefiro estar com Deus e contra os homens, que com os homens contra Deus."

 

Quando chegou a Lisboa foi multado e proibido de exercer a profissão de advogado (era licenciado em direito). Ficou reduzido a ter de vender todos os seus pertences pessoais para comprar comida para a sua família. Morreu em 1954, sem dinheiro e ainda em desgraça.

 

Muitas outras individualidades mundiais "lutaram" pacificamente pela PAZ. Decidiu-se, este ano, evidenciar Gandhi e Mandela, e irão ser projetados filmes sobra as suas vidas.

 

Mas haverá, durante a semana,  atividades variadas a decorrer em diferentes espaços do agrupamento. Esperamos que apareçam.

 

Fique a conhecer o que planeámos:

Semana da PAZ 

 

À Descoberta de Aristides de Sousa Mendes

 

27 a 31 de janeiro

 

 

Atividades

2ªf

3ªf

4ªf

5ªf

6ªf

27 janeiro

Dia Internacional em Memória das vitimas do Holocausto

28 janeiro

29 janeiro

30 janeiro

31 janeiro

Mostra Bibliográfica sobre Holocausto

Nas diferentes BE’s do Agrupamento

Projeção de Filmes

Auditório da ESSMO - tarde

Hora de almoço: na Sala Polivalente ESSMO

(com a colaboração do Clube de Rádio)

Aristides de Sousa Mendes

A Vida é Bela

Não há projeção

Gandhi

Invictus

Inscrições dos interessados na Sala de Profs/Biblioteca

Hora de almoço: na Biblioteca da EBDNAP

A Vida é Bela

Gandhi

Não há projeção

Aristides de Sousa Mendes

Invictus

Exposição de artefactos e documentos de origem judaica

BE de EBDNAP (Nuno Álvares)

Exposição de papagaios da PAZ

BE de EBDNAP (Nuno Álvares)

Folheto sobre a PAZ e Figuras proeminentes

A disponibilizar pelas BE’s ao longo da semana

Concurso de desenhos Pombas da Paz

BE EB1Raúl Lopes

Sessão Pela PAZ

Dia 30 de janeiro (ver especificações no quadro abaixo)

 

Dia 30 de janeiro 2014 - Dia da Não Violência Escolar e Educação para a Paz

 

Hora

Participantes/Oradores

Tema específico

Alunos assistentes

Local

10h30: 12h00

José Mendes

Comunidade judaica em Tomar

Inscrições na EBDNAP

Auditório EBDNAP

Maria Celeste Sousa

Aristides de Sousa Mendes

Dramatização pelos alunos do 6º 

 

Profª Angelina Oliveira

 

Aristides Sousa Mendes

Leituras sobre Nelson Mandela pelos alunos do 6º D

Profª Carlos Mendes

 

Nelson Mandela: a personagem

Leituras sobre Gandhi pelos alunos do 5º C

Profª Fernanda Curado

Gandhi: a personagem

 

 

 

CNL-resultados da 1ª fase

 

 

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA

 

1ª fase: eliminatória a nível de escola

 

RESULTADOS

 

Após a eliminatória do passado dia 15, ficaram apurados para a final distrital do Concurso Nacional de Leitura 2013/2014, os seguintes alunos:

 

- 3º Ciclo do Ensino Básico

 

Nome

Ano

Turma

Pontuação

Professora

Carolina Lopes Diz

8ºG

3

43/50

Maria Cristina Alves

Lourenço Pires Miguel

7ºE

17

42/50

Maria do Céu Baião

Ana Catarina Silva

8ºE

3

40/50

Maria Cristina Alves

 

- Ensino Secundário

 

Nome

Ano

Turma

Pontuação

Professora

Luís Morais

10ºC

10

46/50

Lina Damásio

Joana Constantino

12ºF

9

38/50

Natália Nogueira

 

Mais uma vez:

 

Aos seleccionados, os nossos parabéns.

Aos que participaram, o nosso agradecimento.

Aos vencedores entregar-se-ão prémios “livrescos”.

A todos, continuação de boas leituras!

 

 

Tomar, 16 de janeiro de 2014

Virginia Woolf (1882, 1941)

Esta escritora inglesa nasceu a 25 de janeiro de 1882 e, segundo alguma crítica, foi um desses raros escritores que nasceu no «instante em que uma estrela se pôs a pensar».

 

Polémica, mas reconhecida como escritora de sucesso ainda em vida, teve noutra excelente escritora, Marguerite Yourcenar, a sua tradutora para a língua francesa.

 

O sítio brasileiro da internet, UOL Educação, apresenta uma resumida, mas abrangente, biografia desta famosa escritora e que a seguir transcrevemos:

 

[creditofoto]

 Virginia Woolf nasceu em Londres, em 1882. Filha de um editor, Sir Leslie Stephen, ela recebeu uma educação esmerada, frequentando, desde cedo, o mundo literário.


Em 1912, casa-se com Leonard Woolf, com quem funda, em 1917, a Hogarth Press, editora que revelou escritores como Katherine Mansfield e T.S. Eliot.

Fez parte do grupo Bloomsbury, círculo de intelectuais sofisticados que, passada a I Guerra Mundial, investiria contra as tradições literárias, políticas e sociais da era vitoriana.

As primeiras obras de Virginia Woolf foram The Voyage Out (1915) e Noite e Dia (1919). Em Mrs. Dalloway (1925), Virginia Woolf emprega recursos narrativos inovadores para retratar a experiência individual. O mesmo ocorre com Rumo ao Farol (1927).

Em 1928, publica Orlando, fantasia histórica que evoca com brilho e humor a Inglaterra da era elizabetana. Nesse período, Woolf faz as famosas conferências para estudantes dos grandes colégios femininos de Cambridge, nas quais mostra sua verve feminista.

Em 1931, publica As Ondas, uma de suas obras mais importantes. Seis anos mais tarde, lança Os Anos.

 

Toda a vida de Virginia Woolf foi dedicada à literatura. Em 1941, vítima de grave depressão, suicida-se, deixando considerável número de ensaios, extensa correspondência e o romance Entre os Atos (1941).

Pág. 1/4