Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

A Europa no Futuro | Prémios 2013

A Europa no futuro: jornais escolares

 

   

E apesar de não ter ganho, pelo menos o júri deste concurso enaltece o trabalho de quem é responsável pelo "nosso" jornal "Letras & Tretas". Estão de parabéns!

 

O jornal Encontro, do Agrupamento de Escol­as Francisco de Holanda, Guimarães, é o vencedor do Concurso A Europa no Futuro, pro­movido pelo Pro­jeto PÚBLICO na Escola e pela Rede de Bib­liote­cas Esco­lares, em parce­ria com o Gabi­nete de Infor­mação do Par­la­mento Europeu em Por­tu­gal.


Se, por alguma razão imponderável, os redac­tores do Encon­tro não puderem par­tic­i­par na sessão Euroscola, serão sub­sti­tuídos pelos redatores das pub­li­cações dis­tin­guidas com menções hon­rosas:


• primeiro lugar, Toque de Saída, do Agru­pa­mento de Esco­las de Amares, Braga;
• segundo lugar, Agora Nós, do Agru­pa­mento de Escolas Dr. Ser­afim Leite, S. João da Madeira.

 

O júri enal­tece ainda o tra­balho real­izado por:


• Eco2 - Agru­pa­mento de Esco­las de Seia; Seia;


• Letras & Tre­tas – Espaço Europa - Escola Secundária Santa Maria do Oli­val, Tomar;


• Tri­gal - Escola Secundária de Cal­das das Taipas, Guimarães.


Pro­mover uma reflexão sobre a Europa no futuro, imag­i­nando como se dese­jaria que ela fosse e referindo o lugar que nela pre­ten­dem ter as ger­ações mais jovens; fazer do jor­nal esco­lar um instru­mento cívico para a dis­cussão de temas rel­e­vantes e estim­u­lar a prática de um jor­nal­ismo esco­lar crítico e imag­i­na­tivo são três dos obje­tivos do concurso.

 

 

Para ver mais, clique aqui.

Também pode aceder ao blogue do jornal Público, Págia23.


 

Disponível em linha em URL: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/home.

Acedido em: 29-09-2013

Dia Europeu das Línguas

 

 


Quando: 26/09/2013 

Onde: Em toda a Europa 

 

 

 

O dia 26 de Setembro é consagrado às línguas europeias desde 2001. A Europa encerra um verdadeiro tesouro linguístico: 24 línguas oficiais e mais de 60 línguas regionais ou minoritárias, além das línguas faladas pelas pessoas de outros países e continentes que vivem na Europa. Precisamente para chamar a atenção para este imenso património linguístico, a União Europeia e o Conselho da Europa tomaram a iniciativa de comemorar o Ano Europeu das Línguas em 2001.

O Ano Europeu das Línguas chegou a milhões de pessoas nos 45 países participantes. Foram organizadas centenas de actividades em toda a Europa para comemorar a diversidade linguística e fomentar a aprendizagem das línguas. Para aproveitar esta dinâmica e visto que as línguas são um dos fundamentos da construção europeia, essa iniciativa deu origem ao Dia Europeu das Línguas, que tem três objectivos: sensibilizar o público para o plurilinguismo na Europa, cultivar a diversidade cultural e linguística e incentivar as pessoas a aprenderem línguas, dentro e fora do contexto escolar.

 

 

__________________________________________

European Day of Languages

Map of Europe and visitors © EU

 

 

 

 

When: 26/09/2013 
Where: Across Europe 

The first European day of languages was held in 2001 as part of European Year of languages when hundreds of events were organised, reaching millions of people in 45 countries.

 

Organised jointly by the EU and the Council of Europe, the European day of languages continues that work, to raise public awareness of the languages used in Europe, to promote cultural and linguistic diversity and to encourage people – schoolchildren and adults – to learn languages.

 

__________________________________________

Journée européenne des langues

Map of Europe and visitors © EU

 

 

Quand : 26/09/2013 
Où : Partout en Europe 

 

 

La première Journée européenne des langues fut organisée en 2001 dans le cadre de l'Année européenne des langues, au cours de laquelle des centaines d'évènements ont été organisés, regroupant plusieurs millions de citoyens dans 45 pays.

 

Organisée conjointement par l'UE et le Conseil de l'Europe, la Journée européenne des langues a pour triple objectif de sensibiliser le public au plurilinguisme en Europe, de cultiver la diversité culturelle et linguistique et d'encourager l'apprentissage des langues par tous dans et en dehors du contexte scolaire.

 

  __________________________________________ 

Europäischer Tag der Sprachen

Map of Europe and visitors © EU

 

  

 

Wann: 26/09/2013 
Wo: Europaweit 

 

Der erste Europäische Tag der Sprachen wurde 2001 als Teil des Europäischen Jahres der Sprachen gefeiert. Die über hundert Veranstaltungen erreichten Millionen von Menschen in 45 Ländern.


Der von der EU und dem Europarat gemeisam organisierte Europäische Tag der Sprachen setzt diese Arbeit fort. Er will das öffentliche Bewusstsein für die in Europa genutzen Sprachen erhöhen, die kulturelle und sprachliche Vielfalt fördern und die Menschen - Schüler ebenso wie Erwachsene – zum Sprachenlernen ermutigen.

 __________________________________________ 

Día Europeo de las Lenguas 

 

 

Por iniciativa del Consejo de Europa en Estrasburgo, el Día Europeo de las Lenguas se viene celebrando, desde 2001, el 26 de septiembre de cada año.

Los 47 estados miembros del Consejo de Europa  animan a más de 800 millones de europeos a aprender más lenguas a cualquier edad, dentro y fuera de la escuela.  Convencidos de que la diversidad lingüística es una herramienta para lograr una mayor comprensión intercultural y un elemento clave en la rica herencia cultural de nuestro continente, el Consejo de Europa promueve el plurilingüismo en toda Europa.

 

Haga clic aquí y vea Una animación divertida

 

 

Morreu o poeta António Ramos Rosa

 



O poeta António Ramos Rosa, considerado uma das maiores figuras da poesia portuguesa do século XX, morreu hoje, 23 de setembro de 2013, aos 88 anos, no Hospital Egas Moniz, em Lisboa, em consequência de uma pneumonia.

 

 Poeta, ensaísta e tradutor, Ramos Rosa nasceu em Faro, a 17 de outubro 1924. Em 1958, iniciou a sua obra poética com a publicação de O Grito Claro. Nas décadas de1950 e 1960, fundou a revista Árvore e codirigiu as revistas Cassiopeia e Cadernos do Meio-dia, tendo sido colaborador em diversas publicações portuguesas (A Capital, Artes & Letras, Diário de Lisboa, Diário de Notícias, Diário Popular, entre outras), bem como em publicações francesas, espanholas e brasileiras.

 

Ao longo de uma vida dedicada à escrita e também ao desenho, António Ramos Rosa organizou e prefaciou várias antologias, traduziu poemas de Paul Éluard e publicou diversos artigos e ensaios. Distinguido com o Prémio Pessoa em 1988, o poeta e ensaísta deixa uma vasta obra com cerca de uma centena de títulos, traduzida em várias línguas.

 

 

Disponível em URL: http://www.instituto-camoes.pt/noticias/lingua-e-cultura/morreu-o-poeta-portugues-antonio-ramos-rosa. Acedido em: 23.09.2013

 

 

Cada árvore é um ser para ser em nós

 

 

  

Cada árvore é um ser para ser em nós

Para ver uma árvore não basta vê-a

a árvore é uma lenta reverência

uma presença reminiscente

uma habitação perdida

e encontrada

À sombra de uma árvore

o tempo já não é o tempo

mas a magia de um instante que começa sem fim

a árvore apazigua-nos com a sua atmosfera de folhas

e de sombras interiores

nós habitamos a árvore com a nossa respiração

com a da árvore

com a árvore nós partilhamos o mundo com os deuses

 

 

 

 

Jornadas Europeias do Património 2013


Realizam-se entre os dias 20 e 22 de setembro as Jornadas Europeias do Património 2013, com o tema “Lugares”. Para assinalar a data, a RBE destaca uma importante fonte de informação e de oferta de recursos pedagógicos, centrais para o conhecimento do património nacional e de grande interesse para as escolas, as bibliotecas, os docentes e os alunos: oMatrizPCI.


MatrizPCI, da responsabilidade do Instituto de Museus e da Conservação (IMC), é uma fonte de recursos em língua portuguesa de salvaguarda, difusão e valorização das manifestações imateriais do nosso património cultural.


Este inventário nacional do Património Cultural Imaterial (PCI) permite inscrever novas manifestações, efetuar pesquisas orientadas e avançadas na Base de Dados de suporte do Inventário e aceder a recursos de referência e de sensibilização para a necessidade de proteção deste património.

 

 

Pág. 1/2