Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Concurso A Europa no Futuro

 

 

 

A escola já deu o primeiro passo. Apresentou-se a concurso com o seu Espaço Europa.

 

Agora, cabe ao júri decidir bem.

Em setembro, haverá novidades.

 

 

O Concurso A Europa no Futuro foi lançado pelo Projeto Público na Escola e pela Rede de Bibliotecas Escolares, em parceria com o Gabinete de Informação do Parlamento Europeu em Portugal. O concurso destina-se a premiar jornais ou revistas, de formatos diversos, da autoria de alunos e professores do Ensino Secundário das escolas públicas e privadas de Portugal Continental. A iniciativa pretende promover uma reflexão crítica sobre a Europa e fazer do jornal/revista escolar um instrumento cívico de discussão e diálogo.                       

O concurso A Europa e o Futuro pretende estimular a prática do jornalismo escolar, tendo em vista uma verdadeira educação para os media.

 

Os jornais/revistas, com um mínimo de quatro páginas A4 ou A3, devem ser realizados por grupos de 12 a 16 alunos, com idades entre os 16 e os 18 anos, coordenados por um ou dois professores.

 

Podem conter notícias, reportagens, inquéritos, entrevistas, artigos de opinião, entre outros.

 

Os jornais/revistas devem ser enviados em formato digital, até ao final do prazo estabelecido, para o endereço eletrónico aeuropanofuturo@gmail.com.

 

Os alunos e professores coordenadores do trabalho premiado vão participar numa sessão da Euroscola, em Estrasburgo, da responsabilidade do Parlamento Europeu.

 

O trabalho premiado é divulgado em setembro no blogue Página 23 do Jornal Público e no portal da Rede de Bibliotecas Escolares.

 

Para mais informações, aceder ao sítio RBE / Programa / / A Europa no Futuro/ Público na Escola ou ao blogue Página 23.  

 

 

 

[Consult. 15-07-2013] Disponível em WWW: <URL: https://www.portaldasescolas.pt/portal/server.pt/community/not%C3%ADcias/241/Ver%20Not%C3%ADcia?dDocName=022009746&dID=33459>

 

 

 

Mia Couto -aniversário natalício do vencedor do Prémio Camões 2013

 

A 5 de Julho de 1955, nasce, na Beira, o escritor moçambicano Mia Couto. Os seus pais, de origem portuguesa, deram-lhe o nome de António Emílio Leite Couto. Na poesia, estreia-se com o livro Poesia - Raiz de Orvalho (1983); nos contos, com Vozes Anoitecidas (1986); nas crónicas com Cronicando (1988) e no romance, com Terra Sonâmbula (1992). Ganhou o Prémio Nacional de Ficção da Associação dos Escritores Moçambicanos (1995).

 

Foi jornalista e professor, e é, atualmente, biólogo e escritor. Está traduzido em diversas línguas. Entre outros prémios e distinções (de que se destaca a nomeação, por um júri criado para o efeito pela Feira Internacional do Livro do Zimbabwe, de Terra Sonâmbula como um dos doze melhores livros africanos do século xx), foi galardoado, pelo conjunto da sua já vasta obra, com o Prémio Vergílio Ferreira 1999 e com o Prémio União Latina de Literaturas Românicas 2007. Ainda em 2007 Mia foi distinguido com o Prémio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura pelo seu romance O Outro Pé da SereiaJesusalém, o seu último romance, foi considerado um dos 20 livros de ficção mais importantes da «rentrée» literária francesa por um júri da estação radiofónica France Culture e da revista Télérama. Em 2011 venceu o Prémio Eduardo Lourenço, que se destina a premiar o forte contributo de Mia Couto para o desenvolvimento da língua portuguesa. A Confissão da Leoa é o seu mais recente livro. Galardoado com o Prémio Camões 2013.