Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos da ESSMO

O importante não é onde chegas, mas o caminho que percorres.

Feira do Livro

  

 

Entre seis e dez de Dezembro, teve lugar na Escola Secundária/3 Santa Maria do Olival a Feira do Livro, dinamizada pela equipa da Biblioteca Escolar.

Foram muitos os livros que povoaram a nossa feira, desde obras literárias pertencentes a diferentes géneros – contos, romances, poesia, banda desenhada, … - bem como livros técnicos sobre arte, fotografia, pintura, ciência, entre outros.

Dos inúmeros escritores “presentes”, permitimo-nos destacar, de uma lista quase interminável, Philip Roth, Paul Auster, José Eduardo Agualusa, Mia Couto, Fernando Pessoa, José Saramago, Sophia de Mello Breyner Andresen, José Luís Peixoto, João Tordo e tantos outros.

Esta foi mais uma oportunidade que a Biblioteca, no cumprimento de um dos seus objectivos, pretendeu dar, sobretudo aos alunos da escola, de folhear, de tocar, quiçá “namorar”, mesmo que por breves momentos, este objecto tão maravilhoso e precioso que é o LIVRO.

Camões n’Os Lusíadas, e a propósito deste mesmo poema épico, diz que com ele pretendeu “dar a conhecer ao mundo novos mundos”. Ora, o LIVRO permite também ao leitor conhecer outros mundos, viver outras vidas e experiências, aventurando-se pelo vasto e apaixonante universo da leitura. Enfim, o LIVRO presenteia-nos sempre com o “palavrear”, tantas vezes delicioso, desse criador de fascínios, misto de homem e mago que é o escritor.

 

Lina Damásio

(Equipa da BE/CRE)

Dia dos Direitos Humanos - 10 de Dezembro de 2010 - Nobel da Paz 2010

Hoje é o Dia dos Direitos Humanos. Esta data foi escolhida para celebrar a proclamação pela Assembleia Geral das Nações Unidas da Declaração Universal dos Direitos do Homem, no dia 10 de Dezembro de 1948. A designação deste dia comemorativo teve lugar na reunião plenária da Assembleia do dia 4 de Dezembro de 1950. Também é neste dia que habitualmente são entregues o Prémio Nobel da Paz e os prémios das Nações Unidas no campo dos direitos humanos. Na África do Sul, o dia é comemorado a 21 de Março, em memória do massacre de Sharpeville.

A Declaração Universal dos Direitos do Homem é um texto jurídico singelo, de trinta artigos, que condensa pela primeira vez na história da humanidade um conjunto de direitos, liberdades e garantias de todos os seres humanos. Ela foi posteriormente desenvolvida por outros textos, mais detalhados, destacando-se o pacto internacional de direitos civis e políticos e o pacto internacional dos direitos económicos, sociais e culturais, aprovados em 1966.


PINTO DE ALBUQUERQUE, PAULO - Estado de Direito. Direitos Humanos. Diário de Notícias. [Em linha]. 10 Dez. 2010. [Consult. 10 Dez. 2010]. Disponível em WWW: <URL:http://dn.sapo.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1731392&seccao=Paulo%20Pinto%20de%20Albuquerque&tag=Opini%E3o%20-%20Em%20Foco>.

 

 

 

Uma cadeira vazia, uma fotografia e um dos seus textos, lido pela actriz norueguesa Liv Ulman representaram o professor de literatura de 54 anos Liu Xiaobo, na cerimónia de entrega do prémio Nobel da Paz.



Em 109 anos de história do Nobel da Paz é a segunda vez que o símbolo da cadeira vazia é utilizado para representar um laureado. A primeira foi em 1936 quando o homenageado desse ano, o pacifista Carl von Ossietzsky, se viu impossibilitado de ir recolher o Nobel, por se encontrar encarcerado num campo de concentração nazi.

Três outros laureados com o Nobel da Paz viram-se impossibilitados de comparecer á cerimónia por razões políticas. A activista birmanesa dos direitos humanos Aung San Suu Kyi, o sindicalista polaco Lech Walesa e o dissidente soviético Andrei Sakharov, mas os esposos ou outros familiares receberam o prémio em seu nome.

No caso de Liu Xiabo isso não aconteceu pois, logo que o vencedor do prémio foi anunciado, as autoridades chinesas colocaram a mulher do dissidente sob prisão domiciliária e fizeram tudo o que estava ao seu alcance para impedir que alguém viajasse até Oslo para receber o Nobel em seu nome.

Pequim não se poupou a esforços para boicotar o evento. A Amnistia Internacional diz ter relatórios de “fontes de confiança” de que os diplomatas chineses na Noruega pressionaram os residentes chineses no país para que participassem em manifestações contra o Nobel , durante a realização da cerimónia.

 

 

TV1.rtp.pt [Em linha]. 10 Dez. 2010. [Consult. 10 Dez. 2010]. Disponível em WWW: <URL:http://tv1.rtp.pt/noticias/?t=Pela-segunda-vez-na-Historia-a-cadeira-esteve-vazia-na-entrega-do-Nobel-da-Paz.rtp&article=398360&visual=3&layout=10&tm=7&source=mail>.


Subway life, by António Jorge Gonçalves

Hoje, sim!

Bicos dos pés, silêncio que se vai ler desenhos, ouvir artista e ver a obra de arte.

 

A obra: Subway Life (Vida Subterrânea).

O artista: António Jorge Gonçalves.

 

Desenhar.

Pessoas.

Metro.

 

Devo confessar que há muito tempo não assistia na escola (atrevo-me até a dizer que nem mesmo fora dela!) a uma intervenção artística tão singular nem a uma apresentação da obra de arte tão clara.

 

Sim, foi na escola que, no decorrer da nossa feira do livro - patrocinada pela livraria Entre Livros -, tivemos o privilégio de receber o António Jorge Gonçalves e de com ele poder falar, aprender e admirar a obra e o seu percurso construtivo.

 

Pensada, a priori e particularmente, para os nossos alunos de artes, pois era nosso intuito (da equipa da biblioteca escolar) proporcionar-lhes um "autor" de livros que escrevesse e contasse histórias não através de palavras, mas através de desenhos, ilustrações, como eles também fazem, foi com muito agrado que verificámos que os "leigos" desta área ficaram igualmente fascinados.

 

Quando a livraria Entre Livros nos disse ser possível a vinda de uma pessoa com estes requisitos, ficámos não só bastante agradecidas como, obviamente, "rejubilantes". Criámos as nossas expectativas. Foram superadas.

 

E para aqueles que, por uma ou outra razão, não estiveram presentes, deixamos aqui um "vislumbre". Esperamos que apreciem.

 

 

Para saber (um pouco) mais sobre o autor: http://www.antoniojorgegoncalves.com/

 

E para saber (um pouco) mais sobre a (construção da) obra: http://www.subway-life.com/

 

Boas leituras!

Boas viagens!

 

Mind the gap!!!

Dia Internacional da Pessoa Portadora de Deficiência 2010

Com esta iniciativa pretende-se envolver todos os cidadãos, de todas as idades, em grupo ou individualmente, na sensibilização para os direitos da igualdade de oportunidades e não-discriminação das pessoas com deficiência. (INR)

 

Na nossa escola, foi projectado o filme realizado pela professora do ensino especial, Ana Cristina Escudeiro Lopes.

 

 

 

 

 

 

1º Dezembro 1640-Restauração da Independência

 

Sabe por que razão hoje é feriado?

1 de Dezembro de 1640 foi a data da restauração da independência de Portugal face ao reino de Espanha. Terminava assim a dinastia filipina, que durante 60 anos governara Portugal. D. João IV foi aclamado rei a 15 de Dezembro.
D. João IV. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2010. [Consult. 2010-11-30].
Disponível na www: <URL: http://www.infopedia.pt/$d.-joao-iv>.


"Assentaram por conclusão que sábado, primeiro de Dezembro, com o menor rumor que fosse possível, se achassem todos juntos no paço, repartidos em vários postos, e que, tanto que o relógio desse nove horas, saíssem das carroças ao mesmo tempo. Sem haver dos confederados quem se arrependesse da determinação, ocuparam todos os postos destinados. Impacientes esperavam as nove horas, e como nunca o relógio lhes pareceu mais vagaroso, assim que deu a primeira e sem aguardarem a última, arrebatados do generoso impulso, saíram todos das carroças e avançaram ao paço. Neste tempo andava D. Miguel de Almeida, venerável e brioso, com a espada na mão gritando:
— Liberdade, portugueses! Viva El-Rei D. João, o Quarto!"
D. Luís de Meneses em História de Portugal Restaurado (adaptação)

 

 

Restauração da independência de Portugal (1640). In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2010. [Consult. 2010-11-30].
Disponível na www: <URL: http://www.infopedia.pt/$restauracao-da-independencia-de-portugal>.


 

Painel de azulejos do Palácio Galveias (Câmara Municipal de Lisboa)

 

 

Pág. 1/2