Quinta-feira, 5 de Dezembro de 2013

Declaração Universal dos Direitos do Homem

 

 

Mrs. Eleanor Roosevelt mostrando a Declaração Universal dos Direitos do Homem 

 

 

Carta de princípios, proclamada pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas a 10 de dezembro de 1948, onde se afirma a preocupação internacional com a preservação dos direitos humanos e se define quais são esses mesmos direitos.A Declaração surgiu como um alerta à consciência humana contra as atrocidades cometidas durante a Segunda Guerra Mundial. Desta forma, inscrevia-se no objetivo fundador da ONU, a luta pela paz e pela boa convivência entre as diferentes nações, credos, raças, ideologias, etc.A Declaração Universal dos Direitos do Homem enuncia os direitos fundamentais, civis, políticos e sociais de que devem gozar todos os seres humanos, sem discriminação de raça, sexo, nacionalidade ou de qualquer outro tipo, qualquer que seja o país que habite ou o regime nele instituído. A noção de direitos humanos tem-se afirmado, na segunda metade do século XX, como um dos conceitos políticos basilares. Contudo, e apesar de de todos os estados-membros da ONU serem signatários da Declaração, muitos são os que, alegada ou comprovadamente, continuam a não respeitar os seus princípios. A 10 de dezembro, comemora-se o Dia dos Direitos Humanos.

 

  

Declaração Universal dos Direitos do Homem. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. [Consult. 2013-12-05].

Disponível na www: <URL: http://www.infopedia.pt/$declaracao-universal-dos-direitos-do-homem>.

 

publicado por essmo-becre às 12:43
link do post | comentar | favorito

.Citação do dia

.Catálogo On-Line

Bibliotecas do Agrupamento

.Tutorial - consulta do catálogo

>

.Sugestões

"Frida" é um percurso pessoal e intimista pelos principais momentos da vida da aclamada artista mexicana, através dos textos poéticos e metafóricos de Sébastien Pérez, onde afloram reflexões e emoções da própria pintora recolhidas no seu diário e correspondência; e complementado com a abordagem moderna e transgressora de Benjamin Lacombe, que aí recria alguns dos seus quadros mais célebres, desde “Raízes” até ao “Veado ferido”, passando por “Autorretrato com macacos”. Com “Frida”, o leitor fica cativado pelo poderoso olhar da protagonista, que dessa forma o conduz ao longo deste magnífico volume visual, caracterizado pela sua elegância, pelo intenso colorido das suas ilustrações e pelo requinte da sua edição forrada a tecido, com páginas que se sobrepõem umas às outras e se complementam pelo recurso a cortantes. Fonte: www.fnac.pt

.pesquisar

 

.links

.Rádio miúdos

https://www.radiomiudos.pt/

.Música

.posts recentes

. Chegada do HOMEM à LUA

. Edgar Degas

. Aristides de Sousa Mendes

. Nascimento da pintora mex...

. Nascimento do escritor mo...

. Nascimento de Antónia Ade...

. Franz Kafka

.subscrever feeds

.Visitantes

.Professor bibliotecário: ode

.Julho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags