Domingo, 2 de Julho de 2017

Mia Couto 

 

[Beira, Moçambique, 5 de julho 1955]

Escritor/Biólogo 

Foi jornalista e professor, e é, atualmente, biólogo e escritor. Está traduzido em diversas línguas.
Entre outros prémios e distinções (de que se destaca a nomeação, por um júri criado para o efeito pela Feira Internacional do Livro do Zimbabwe, de Terra Sonâmbula como um dos doze melhores livros africanos do século XX), foi galardoado, pelo conjunto da sua já vasta obra, com o Prémio Vergílio Ferreira 1999 e com o Prémio União Latina de Literaturas Românicas 2007. Ainda em 2007 Mia foi distinguido com o Prémio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura pelo seu romance O Outro Pé da Sereia.
Jesusalém foi considerado um dos 20 livros de ficção mais importantes da «rentrée» literária francesa por um júri da estação radiofónica France Culture e da revista Télérama.
Em 2011 venceu o Prémio Eduardo Lourenço, que se destina a premiar o forte contributo de Mia Couto para o desenvolvimento da língua portuguesa.
Em 2013 foi galardoado com o Prémio Camões e com o prémio norte-americano Neustadt.

Fontes:

http://www.citador.pt/textos/a/mia-couto

https://www.wook.pt/autor/mia-couto/2621

 

 

publicado por essmo-becre às 12:17
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 30 de Junho de 2017

CNL - 11ª ed. Final Nacional

CNL.png

Programa da Final Nacional

Biblioteca Municipal de ANADIA

7 de JULHO de 2017

 

Consulte aqui o programa

 

 

publicado por essmo-becre às 12:42
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Junho de 2017

Preparar os exames nacionais com o Ensina

ensina.png

 

O Ensina oferece um conjunto de recursos que podem ajudar o estudante a compreender melhor a matéria. Biografias de autores, documentários históricos, infografias ou comentários de especialistas são uma mais-valia para quem se prepara para um dos momentos mais importantes do ano letivo.

 

No RTP Ensina encontra recursos para diversas disciplinas que podem ser úteis durante todo o ano e numa altura de exames ainda mais.

 

Não esquecer que para além de ser relevante conhecer as matérias é importante descansar e saber estudar para tirar o máximo rendimento desse trabalho… Depois é aproveitar os recursos que estão disponíveis, entre outras, nas seguintes disciplinas:

 

Texto replicado da fonte com pequenas alterações.

Fonte: http://blogue.rbe.mec.pt/ 

publicado por essmo-becre às 10:25
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Junho de 2017

Jean-Paul Sartre

0-sartre.jpg

 

Escritor e filósofo francês, Jean-Paul Sartre nasceu a 21 de junho de 1905, na cidade de Paris. Filho de um oficial da marinha que morreu quando Sartre era ainda criança, mudou-se com a mãe, sobrinha-neta do famoso médico e escritor Albert Schweitzer, para junto do avô. 


A família partiu para La Rochelle em 1917, por ocasião do casamento da mãe em segundas núpcias. Após ter frequentado o Lycée Louis-le-Grand, licenciou-se pela Ècole Normale Supérieure em1929, onde conheceu Simone de Beauvoir que se viria a tornar na sua companheira. A partir de 1931 trabalhou como professor, tendo a possibilidade de viajar pelo Egito, Grécia, Itália e Alemanha, onde estudou a filosofia de Edmund Husserl e Martin Heiddeger.

Em 1938 publicou o seu primeiro romance, La Nausée ( A Náusea ), em que exprimia de forma pessimista a sua constatação do absurdo da vida, e o consequente ateísmo. No ano seguinte, e com a deflagração da Segunda Guerra Mundial, foi engajado para o serviço militar, mas foi capturado pelos alemães ao fim de um ano e libertado em 1941. Juntou-se então à Resistência, e contribuiu para publicações periódicas como Les Lettres Françaises e Combat .

Em 1943 publicou a sua primeira peça de teatro, Les Mouches ( As Moscas ), escrita em moldes da tragédia grega e recorrendo à temática da suamitologia, e em que procura afirmar a doutrina do existencialismo, de que a responsabilidade dos atos do indivíduo recai sempre sobre si mesmo, e constitui o melhor exercício da liberdade.

Com o armistício fundou uma revista, a Les Temps Modernes , de teor literário e político. Decidiu então dedicar-se inteiramente à escrita e às atividades políticas marxistas. Em 1946 apareceu o seu estudo, L'Existencialisme Est Un Humanisme , uma espécie de manifesto da filosofia existencialista, e La Putain Respectueuse . Les Mains Sâles ( As Mãos Sujas ) foi publicado em 1948.

Visitou a União Soviética após a morte de Estaline, ocorrida em 1953, mas a azáfama política esgotou-o ao ponto de ter de ser internado durante dez dias num hospital. Defendeu a causa da liberdade do povo húngaro em 1956 e da do checo em 1968.

Foi galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1964, mas recusou a honra como forma de protesto contra os valores da sociedade burguesa. Uma organização terrorista contra a independência da Argélia colocou duas bombas no seu apartamento, uma em 1962 e outra no ano seguinte.

Foi presidente do tribunal criado por Bertrand Russell para julgar a conduta militar norte-americana na Indochina em 1967. Apoiou vivamenteos acontecimentos do 'maio de 68'. Em 1970 foi detido pela polícia por vender propaganda maoista, na época proibida em França.

Um surto de glaucoma foi prejudicando gradualmente a sua visão a partir de 1975, até o ter cegado quase completamente no fim da sua vida, que ocorreu a 15 de abril de 1980 em Paris, devido a problemas pulmonares.

 

Jean-Paul Sartre in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-06-21 13:33:45]. Disponível na Internet:

publicado por essmo-becre às 14:04
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 13 de Junho de 2017

Fernando Pessoa: poeta e escritor por vocação

E porque hoje é o aniversário natalício de Fernando Pessoa ...

fernando-pessoa-ensinaRTP.PNG

 http://ensina.rtp.pt/artigo/fernando-pessoa/ 

publicado por essmo-becre às 12:10
link do post | comentar | favorito
|

.Citação do dia

.Sugestões

"Mulheres de Cinza" é o primeiro livro de uma trilogia sobre os derradeiros dias do chamado Estado de Gaza, o segundo maior império em África dirigido por um africano. Ngungunyane (ou Gungunhane, como ficou conhecido pelos portugueses) foi o último de uma série de imperadores que governou metade do território de Moçambique. Derrotado em 1895 pelas forças portuguesas comandadas por Mouzinho de Albuquerque, Ngungunyane foi deportado para os Açores onde veio a morrer em 1906. Os seus restos mortais terão sido trasladados para Moçambique em 1985. Existem, no entanto, versões que sugerem que não foram as ossadas do imperador que voltaram dentro da urna. Foram torrões de areia. Do grande adversário de Portugal restam areias recolhidas em solo português. Esta narrativa é uma recreação ficcional inspirada em factos e personagens reais. Serviram de fonte de informação uma extensa documentação produzida em Moçambique e em Portugal e, mais importante ainda, diversas entrevistas efectuadas em Maputo e Inhambane.

Fontes:http://www.fnac.pt/

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Catálogo On-Line

Bibliotecas do Agrupamento

.links

.Música

.posts recentes

. Mia Couto 

. CNL - 11ª ed. Final Nacio...

. Preparar os exames nacion...

. Jean-Paul Sartre

. Fernando Pessoa: poeta e ...

. "Os Maias", de Eça de Que...

. Manuel Alegre é o vencedo...

.subscrever feeds

.Visitantes

.Professor bibliotecário: ode

.tags

. todas as tags